Ainda sobre possibilidades, as que geram menos satisfação..
Sexta, 07 de Novembro de 2014

Um conceito bem objetivo de Economia é a alocação eficiente de recursos escassos para atender a necessidades ilimitadas. Ou seja, dadas as opções disponíveis, os indivíduos tentam avaliar a melhor forma de alocar seus recursos, sejam financeiros (salário, renda), físicos (quantidades de qualquer item), ou genéricos (como nosso tempo distribuído entre as atividades que desenvolvemos).

Tendo isso em vista (e geralmente é o que todos temos em mente), quanto mais possibilidades existam, melhor seria, não é verdade? Quanto mais opções de escolha um indivíduo tem para ‘encaixar’ com suas demandas, melhor; pois mais formas e alternativas terá de sanar suas necessidades.

Isso é verdade, mas não completamente. Existem estudos que demonstram os problemas e infelicidades gerados quando temos muitas alternativas de escolha.

 

Imagine que você, ao chegar em uma lancheria, se depare com o seguinte cardápio: cachorro quente, torrada ou sanduíche natural. Certamente a escolha seria fácil, rápida e traria uma boa saciedade no desejo de alimentação. Por outro lado, você poderia encontrar um outro cardápio bem mais completo: cachorro quente com 39 tipos de molhos e complementos, torradas simples, duplas, triplas, com ou sem salada, com ou sem ovo, com 20 opções de condimentos, bem como 47 variedades de sanduíches naturais, cada um com 4 tipos de pão. 

Já deu um nó na cabeça, não? Já começamos a ficar em dúvida sobre o que escolher, correto? Até mesmo porque não descrevi aqui quais os tipos de molhos e inclusive isso pode ter gerado possibilidades em suas cabeças (que não foram conclusivas).

É exatamente isso que acontece quando nos deparamos com muitas possibilidades de escolhas, o que ocorre centenas de vezes em apenas um dia, com as decisões mais simples até mesmo em nossa rotina pessoal. Não apenas porque temos que escolher, mas principalmente porque temos que abrir mão de muitas alternativas para que apenas uma seja efetivada. Deixar um ‘mundo’ de possibilidades para ‘ter’ que escolher apenas uma coisa é um desafio que pode inclusive gerar frustração a muitos, mesmo que inconscientemente.

De qualquer sorte, provavelmente 99 entre 100 pessoas vão preferir ter mais que menos alternativas, preferem poder escolher e ter a sensação de definição do seu destino, ainda que isso signifique escolher a cor da roupa antes de sair de casa.

Aproveitem suas escolhas.

Comentários