Se o preço fosse menor, você gastaria mais?
Sexta, 12 de Setembro de 2014

Estava conversando com o subeditor do Jornal Folha do Noroeste sobre o Feirão do Imposto, movimento nacional ao qual a ACI de Frederico Westphalen estará aderindo neste final de semana.

Quando se fala sobre o tema tributação, os ânimos se exaltam, pois o mesmo é complexo e imediatamente delineei o tema desta coluna. Logicamente não deve haver nenhum cidadão em sã consciência que seja contra impostos, mesmo porque vivemos em um Estado Democrático de Direito e que para se manter a estrutura de governo deve haver alguma fonte de recursos. Isso maiormente se faz via tributação. Igualmente os eventuais benefícios dos cidadãos advêm desses valores.

No entanto, quando se pensa na complexidade e mesmo o peso da carga tributária a que todos estamos direta ou indiretamente conectados, certamente o debate fica mais acalorado.

Novamente trouxe no diálogo exemplos de países norte-americanos, onde o sistema tributário é muito mais simplificado, focando nos diretos sobre a venda, bastante mais visíveis que os indiretos e os em “cascata” do Brasil vulgarmente debatidos. Naqueles países, mesmo os indivíduos nas camadas mais baixas da pirâmide social consomem proporcionalmente muito mais e melhor que aqueles na nossa D ou E. Os produtos de modo geral são mais baratos.

Isso geralmente ocorre por dois fatores. Sabem quais? Lhes digo. 

Primeiro pela carga tributária menor. Segundo, pela eficiência maior geralmente associada a países mais desenvolvidos.

Imaginem se os produtos fossem a metade do preço pago por nós atualmente? O que você faria? Certamente poderia consumir mais dos mesmos produtos, ou itens que eventualmente não tem acesso. 

Geralmente os países mais desenvolvidos, seja pelo nível tecnológico envolvido ou pela produtividade maior de seus profissionais, alcançadas eficiências produtivas mais elevadas, de sorte que seus produtos são mais baratos.

Em resumo, preços menores geram uma base de consumo ampliada.

Qual a lógica disso?

Tributos menores possibilitam preços reduzidos, mesmo mantendo-se a margem de lucro dos fornecedores. Preços menores aumentam o consumo de itens pela população, que fazem com que a oferta tenha que ser elevada. Isso faz com que os investimentos privados e públicos sejam incrementados, aumentando contratações e gastos. Estes, por sua vez, retornam ao mercado sob forma de renda, parte em poupança, gastos e novos investimentos, gerando um ciclo virtuoso.

E então, quer pagar menos impostos?

Comentários