POR QUE É IMPORTANTE A REVELAÇÃO DO NOME DE DEUS?
Sexta, 17 de Abril de 2015

Meus amigos e minhas amigas! Estamos caminhando neste caminho da Fé. Este caminho que foi trilhado por milhões e milhões de pessoas, que antes de nós receberam a palavra de Deus através da Igreja. Viveram esta Palavra, penetraram aprofundaram-se nela, envolveram a sua vida nela e nos transmitiram toda a sua vivência de Fé. 

É isso que a Igreja faz quando nos coloca nas mãos, um compêndio do catecismo da Igreja Católica. Ela nos diz, aqui está aquilo que deu sentido a vida e tantas e tantas pessoas.

POR QUE É IMPORTANTE A REVELAÇÃO DO NOME DE DEUS?

E a resposta do Catecismo é sublime: ao revelar o seu nome, Deus dá a conhecer as riquezas do seu mistério inefável. Só Ele é, desde sempre e para sempre. Aquele que transcende e está acima do mundo e da história. Foi Ele que fez o céu e a terra, mas Ele é Deus fiel, diz o catecismo, Deus é fiel. Sempre próximo do seu povo para salvá-lo. Não é aquele Deus distante, enigmático, apenas um ser frio e indiferente.

Deus é pessoa. É o Deus de Abraão, é o Deus de Isaac. É o Deus e de Jacó.

Um Deus como diz Paulo, uma expressão belíssima: rico em misericórdia.

Esta expressão da carta de Paulo aos Cristãos de Éfeso 2,4 “Deus Rico em Misericórdia”. Pra mim, é uma das mais belas definições de Deus: Aquele que é rico em misericórdia, nós diríamos numa linguagem humana: aquele que se realiza, manifestando a sua bondade, manifestando o seu amor e dando-nos o seu perdão.

Mas esta resposta continua: Deus, o nosso Deus, aquele que está sempre pronto a nos perdoar. E é isto que Jesus vai acentuar quando nos ensinar a parábola do Filho Pródigo: Aquele Deus que espera o filho. O pai que espera o filho. Não é aquele que fica lá dentro de casa. Não, ele fica lá fora esperando que o filho volte. E quando vê o filho no horizonte, corre ao encontro do filho para abraçá-lo. Realmente um Deus rico em misericórdia. E sempre pronto a nos perdoar. O catecismo também diz, que este Deus, é um ser espiritual, que este Deus é um ser transcendente. Está acima daquilo que nós vemos, que nós vivemos no dia a dia, está muito acima disso. Deus onipotente. Deus que tudo pode.

A Deus nada é impossível, disse o Anjo à Maria. É um Deus eterno, é um Deus pessoal, é um Deus perfeito. Enfim Deus é verdade. Deus é Amor.

E somos chamados a dedicar toda a nossa vida, para penetrar na intimidade de Deus. É Deus que quer se revelar.

Por isso, formou o povo, quer revelar a sua palavra. E enviou a palavra, o seu Filho, porque Ele quer que nós O conheçamos. Portanto se há uma desgraça verdadeira. Se há uma tristeza imensa, é alguém nascer, é de alguém viver talvez longos anos, pode ser muita coisa até neste mundo,

sem ter feito a experiência, sem ter conhecimento deste Deus vivo, para que você tenha a graça de sempre mais conhecê-lo.

 

Comentários