Que tipo de ligação existe entre as coisas criadas?
Sexta, 24 de Julho de 2015

Meus amigos e minhas amigas!
Em nossa Catequese, tendo como base, como fundamento, o catecismo da Igreja Católica, este presente que João Paulo 2º começou a preparar e que Bento 16 aprovou e entregou à Igreja. Tendo como base este Catecismo, refletindo sobre o Credo e as verdades principais de nossa fé, a pergunta é assim: que tipo de ligação existe entre as coisas criadas?
Supondo-se que saíram das mãos de Deus, as criaturas devem ter uma ligação entre si. E realmente tem. O próprio Catecismo lembra que há uma interdependência entre as criaturas! Uma depende da outra. As criaturas não são cada uma por si e Deus por todas, como às vezes o povo costuma de dizer. Mais ainda, há uma hierarquia, e nesta hierarquia, o homem e a criatura humana. O homem e a mulher.
O Homem é o centro, centro da criação. Tudo foi feito em função do homem, e o homem para a glória de Deus. Mas ao mesmo tempo existe uma unidade, e mais do que uma unidade, existe uma solidariedade, uma ajuda mútua: uma precisa da outra, uma serve a outra, porque todas nasceram das mãos do criador, do criador que concebeu tudo em função, justamente de uma unidade, de uma ajuda mútua.
Tudo na criação está ordenado para a glória de Deus. Isto que é fundamental. Deus é glorificado em suas criaturas, contemplando a natureza, as plantações da nossa região, como eu tenho oportunidade de glorificar a Deus, olhando para as lavouras, contemplando uma criança, uma flor. Eu devo elevar o meu coração a Deus pensando nesta flor, o sorriso desta criança, a riqueza das nossas colheitas. Tudo fala de Deus. Tudo glorifica e o Senhor lhe mostra. E imagina se tudo isso é tão belo, imaginem aquele que é a fonte de toda aquela beleza.
E o Catecismo ainda diz mais. Respeitar as leis inscritas na criação, respeitar a natureza, é um princípio de sabedoria. Tudo existe em função do ser humano. Tudo existe, pois, para a glória de Deus. Conhecer a natureza, esta harmonia do universo, conhecer o valor de uma planta. Tudo isto é também uma glorificação de Deus.
Portanto, se alguém se debruça sobre uma planta para descobrir que remédio pode obter a partir dela, está glorificando o criador. Se alguém, respeitando a natureza, evita poluir os açudes da nossa região, evita poluir os rios, está colaborando para glorificar a criação de Deus.
Deus quer uma natureza preservada. Deus quer uma natureza respeitada para que o homem e a mulher, vivendo felizes nesta terra, possam cada vez mais, na liberdade, glorificá-lo.
Por isso, aprendamos hoje o seguinte: a natureza existe para nós não para destruirmos, não só para nos beneficiarmos, e enriquecermos avidamente, mas sim para, usando-a de forma adequada e harmoniosa, glorificarmos o nosso Pai que está nos céus.

 

Comentários