Em que sentido o homem é criado à “Imagem de Deus”?
Sexta, 31 de Julho de 2015

Meus amigos e minhas amigas!
Louvado seja o Senhor pelas suas criaturas. Hoje, nesta reflexão, neste estudo, neste debruçar-se sobre o credo, nós chegamos ao homem. Homem no sentido genérico. O ser humano: homem e mulher. E a pergunta é de nº 66 do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. A pergunta consiste no seguinte: em que sentido o homem é criado à “Imagem de Deus”?
Vejam como é fundamental esta questão. Dizer que o homem é criado à imagem de Deus Significa o quê? É criado à imagem e semelhança de Deus enquanto é capaz de conhecer, enquanto é capaz de amar na liberdade. Conhecer, isto é, penetrar no sentido de cada coisa. Mais, ser capaz de amar, coisa que os animais não são capazes, nem de conhecer e nem de amar porque, na verdade, são seres não livres, e agem por instinto.
E nós podemos conhecer, amar, acima de tudo, o próprio Criador. Para isso existimos, para penetrar nas maravilhas de Deus, naquilo que Ele quer revelar de Si mesmo.
O ser humano, o homem e a mulher, é a única criatura na terra que Deus quis por si mesmo. O restante foi criado em função do homem e da mulher. Mas o homem e a mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus. Por nós mesmos, Deus só tem uma finalidade, diria assim, para a sua Glória.
Mas nós não existimos para as outras criaturas, portanto, nós somos chamados à partilhar a nossa vida, esta vida divina que recebemos.
Ora, enquanto criado à imagem e semelhança de Deus, nós temos dignidade para que saibamos respeitar em cada criatura, não importa a raça, a nacionalidade, a religião de um homem e de uma mulher.
Cada ser humano tem uma dignidade por ter sido criado à imagem e semelhança de Deus. Portanto, para uma vocação eterna.
O ser humano, o homem e a mulher, podem, em primeiro lugar, conhecer-se a si mesmos. Um animal, um cachorro, ele não tem autoconhecimento. O filósofo diria: existe, mas não pensa.
Ele não é capaz de refletir sobre si mesmo. Ele não é capaz de posicionar-se diante do mundo. Você é capaz disso. Você é capaz de se perguntar: quem sou? De onde vim? Para onde vou?
Então, o ser humano é capaz de se conhecer, de conhecer-se a si mesmo. Outra característica, outra marca nossa: podemos nos doar livremente. E isso que é a nossa grandeza. Doar-se é tomar a minha vida e colocá-la a serviço do outro. Especialmente do outro que é Deus.
E mais ainda, que é outra marca nossa. Nós somos capazes de entrar em comunhão com Deus. As criaturas, uma pedra, um rio, uma montanha, glorificam a Deus. Elas estão aí e refletem sua beleza, mas você e eu temos a possibilidade de entrar em comunhão com Deus. Temos a possibilidade de conhecê-lo, de nos doar a Ele, de amá-lo, de glorificá-lo. E nisso está a razão da nossa existência, da nossa grandeza.
Torno a repetir que desgraça é alguém não conhecer a Deus, não doar-se a Ele, não amá-lo. Isto, do ponto de vista de criatura, é uma frustração verdadeira.
Descubra a sua dignidade, procure conhecer a Deus.

Comentários