Quem dá a alma ao homem?
Sexta, 21 de Agosto de 2015

Meus amigos e minhas amigas!
Eu diria louvado seja Deus porque fez nascer na igreja esta síntese que eu não me canso de admirar em conhecer: o Catecismo da Igreja Católica e agora o Compêndio deste mesmo Catecismo. Uma síntese vigorosa de nossa fé. E neste Compêndio é que nós nos defrontamos sobre a seguinte questão: quem dá a alma ao homem? Vejam que pergunta fundamental.
Fundamental por quê? Porque se alguém lhe perguntar: quem é seu pai? quem é sua mãe? Isto é, aqueles que deram a vida, vai dizer. Mas a fé vai nos lembrar do seguinte: o corpo, sim, eles colaboraram para que ele existisse, mas quanto a alma não. A alma espiritual não vem dos pais. Não vem? A alma espiritual é criada diretamente por Deus no momento que é concebida uma pessoa. E esta alma é imortal. Não poderia ter sido criada por nossos pais.
Sim, nossos pais estão na origem do nosso corpo. A alma, naquele momento em que fomos gerados, naquele instante de nossa vida, no primeiro momentinho, Deus infundiu uma alma imortal. Isto é, fazendo com que nós tenhamos uma vocação para viver eternamente. E a fé nos diz que esta alma separa-se do corpo no momento da morte, mas não perece. Ela subsiste, continua, e voltará a unir-se novamente ao corpo. A alma imortal voltará a unir-se ao corpo glorificado. E quando isso? No momento de nossa ressurreição, nossa alma se unirá ao corpo e o corpo será glorificado. E então o nosso ser, a nossa pessoa, estará diante de Deus.
Na nossa individualidade não vamos entrar em Deus, como pensavam no Antigo Testamento, entrar num scheol, como parte de uma massa indefinida, impessoal. Cada um de nós viverá eternamente na sua individualidade, com a consciência de sermos nós, de sermos únicos, de sermos desejados por Deus.
Esta é a nossa grande vocação. Daí o respeito e até o sentido daquela pergunta de que Jesus diz: “De que adianta ao homem ganhar o mundo todo se vier a perder a sua alma”.
O caixão não tem gavetas, não levamos nossas riquezas, os títulos recebidos do mundo, os elogios. O que nós levamos para a eternidade será o bem que tivermos feito. Isto nos acompanhará. Vale a pena, pois, trabalhar mesmo, como disse Jesus, que percamos um braço, uma perna, ou um olho, desde que mantenhamos íntegra a nossa vida divina, que não percamos a nossa alma, porque se a perdermos aí sim é a maior desgraça.
Para que você salve a sua alma e a salve glorificando a Deus cada dia e servindo com a sua alma e com o seu corpo. Isto é com sua pessoa.
As pessoas, os filhos de Deus, cada dia que passarem no seu caminho, devem ser iluminados por você. Você deve ser luz do mundo, disse Jesus.

Comentários