Que outras consequências provoca o pecado original?
Sexta, 09 de Outubro de 2015

Meus amigos e minhas amigas!
Estamos estudando o Credo, tendo assim como base, como fundamento, o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. Estamos no capítulo da criação, e este capítulo tem também momentos dolorosos, mas é preciso conhecer os momentos da queda, do pecado.
Nós havíamos estudado que o pecado original deixou como marca, em nós, da perda, da santidade e da justiça originais. A pergunta desse Compêndio é: Que outras consequências provoca o pecado original?
É o próprio Compêndio responde: Em consequência do pecado original, a natureza humana, sem ser totalmente corrompida, fica ferida nas suas forças naturais. Fica ferida; a natureza humana está ferida e eis aí a marca do pecado que continua, mesmo porque continua a liberdade do ser humano.
Mas nós olhamos ao nosso redor, e olha que nem você precisa ser pessimista, pois tenho certeza que não o sou; mesmo assim a gente tem que constatar como o pecado, como a marca do pecado está em toda a parte. A marca das doenças, a marca dos ódios, a marca dos desentendimentos dentro de uma família, a marca das guerras entre as nações.
E, aqui, gostaria de registrar um caso da 2ª Guerra Mundial que posso testemunhar, pois estive numa viagem em 2006, no leste europeu, que nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro do ano de 1945, 700 aviões lançaram bombas à noite sobre a cidade de Dresden, na Alemanha, que tinha um milhão de habitantes.
A maioria era de crianças e mulheres, que vinham se refugiando da guerra nessa cidade, e mataram nada mais nada menos do que 350 mil pessoas e destruíram toda uma cidade, que ainda hoje tem as marcas sangrentas deixadas. Quando essa cidade era só de banqueiros, lá era um grande centro comercial e não uma cidade que produzia bombas, como os aliados da guerra imaginavam.
Vejam que marca, que estrago e ainda por cima, por engano. A marca da capacidade, que tem alguns seres humanos de enriquecer mesmo com a desgraça do outro: vendendo drogas, “vendo drogas para ficar mais rico”, pensam muitos assim. Não importa a destruição do outro, o importante é que eu enriqueça e com o dinheiro eu faça o que eu quiser, aquilo que eu sonho.
São marcas do pecado. São as feridas que o pecado deixou no coração humano. E como isto é terrível, a marca do pecado, a ferida do pecado, a qual se manifesta também na ignorância, no sofrimento, nesta inclinação ao pecado.
Em outras palavras, na concupiscência, que é a inclinação ao pecado que o ser humano tem. São Paulo constatou de forma muito forte e realista quando disse: “eu não entendo, eu não faço o bem que eu quero, mas o mal que eu não quero.”
Que força é essa dentro de mim, pergunta Paulo, ele demonstra realmente não se entender. Vê o bem e quer fazer o bem, e constata que acaba fazendo o mal. Por quê? E quem vai me libertar disso?, ele pergunta, para em seguida ele próprio responder: “quem vai me libertar é Jesus Cristo; Ele é o único capaz de me ajudar a vencer esta situação”. Em outras palavras, o ser humano, nós, você e eu, sem a graça divina vamos ter uma vida marcada pelas feridas do pecado.
Feridas do pecado que habita em nós. Feridas que nos acompanham. Feridas que nos empobrecem. Feridas que nos arrastam para o mal. E, somente com a graça de Deus seremos vencedores, seremos capazes de superar. Porque a graça de Deus não é apenas um dom, mas é o próprio Cristo presente em nós. É a força do Espírito Santo agindo em nós e levando por Cristo, com cristo e em Cristo ao pai.
Que você, em Cristo, seja um vencedor, meu amigo e minha amiga.

Comentários