Em que sentido Jesus é o “filho único de Deus”?
Sexta, 06 de Novembro de 2015

Meus amigos e minhas amigas!! Estamos tendo a alegria e o privilégio de conhecer mais um pouco do evangelho, do credo, de Jesus Cristo. Estamos utilizando, para isso, aquilo que se chama o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. A pergunta é: “em que sentido Jesus é o “filho único de Deus”? Em que sentido Ele é o único filho de Deus? 

No sentido único, no sentido perfeito, e para ter uma reposta adequada nós nos debruçamos sobre o evangelho. Neste, em dois momentos vamos encontrar uma expressão belíssima do Pai. Aliás, no novo testamento o Pai, por assim dizer, se cala, mas no sentido direto. Ele agora tem uma voz, que é uma expressão perfeita de sua palavra.

O Pai tem alguém que é a palavra, Cristo é a expressão viva do coração do pai. Portanto, é o Seu Filho Jesus Cristo. No momento do batismo de Jesus e no da Transfiguração, no Monte Tabor, o Pai disse a mesma coisa, dirigindo-se ao Seu filho Jesus e referindo-se a Ele: “tu és o meu filho Amado, em ti ponho o meu benquerer, minha complacência, ponho todo o meu carinho, todo o meu amor.”

Então, o Pai fala de Jesus com muito carinho. Quando Jesus fala do Pai, suas palavras transbordam de carinho, porque Jesus ama profundamente o Pai e sente-se profundamente amado por Ele. 

O catecismo diz ainda mais, pois Jesus se apresentou a si mesmo como um Filho que conhece o Pai. Lemos isso em Mateus 11,27: “aquele único que conhece a Deus, porque coexistente com ele, desde toda a eternidade”. Jesus ao mesmo tempo afirma a relação única e eterna com Deus seu Pai. É o filho unigênito de Deus.

Como lemos na 1ª carta de São João 2,23, é a segunda pessoa da trindade, como Jesus é a revelação de Deus. Ele se tornou o centro da pregação dos apóstolos. Eles saíram anunciando Jesus Cristo, morto e ressuscitado, ou como lemos em João 1,14 “os apóstolos manifestaram que viram a Sua glória como unigênito do pai”.

Então, em que sentido tem um Filho único? Deus só tem um Filho. Depois que este seu filho assumiu-nos como irmãos, aceitou-nos como irmãos, aí sim Ele passou a ter incômodos, porque Deus agora tem muitos filhos, porque os muitos filhos agora dão a Deus muito trabalho, mas um agradável trabalho, porque o trabalho que damos para Deus é porque somos filhos queridos do Seu Filho Jesus.

Em outras palavras, Jesus é o único que tinha direito de se voltar para Deus e de chamá-lo de Pai. Meu Pai. Mas Ele quis repartir conosco este direito e quis isso porque Ele sabia que este era o desejo de seu Pai. Ele veio para cumprir a vontade do Pai, derramando seu sangue sobre nós, lavando-nos do pecado, tornou-nos seus filhos. Somos membros do Seu corpo.

Agora, cada um de nós também pode chamar Deus de Pai. Como filhos, temos os mesmos direitos, incluindo o de viver agora eternamente com o Pai.

Que graça imensa.

Comentários