O que representa o coração de Jesus?
Sexta, 15 de Janeiro de 2016

Meus amigos e minhas amigas! Estamos estudando, guiados pelo Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, e aprofundando-nos sobre o Credo, no qual existe uma afirmação forte e solene, a qual é: “Creio em Jesus Cristo”. Estamos estudando quem é este Jesus Cristo no qual nós vamos acreditar. A pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é: O que representa o coração de Jesus?

O coração de Jesus é representado por tantas imagens e possui uma devoção popular, mas tem uma base bíblica. O próprio Jesus se apresenta assim: “Eu sou manso e humilde de coração”. Jesus disse: “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração”. Foi Jesus que se apresentou usando essa expressão porque a palavra coração, em toda a cultura oriental, é uma síntese dos nossos sentimentos.

Por isso que a palavra coração, em toda a Bíblia, aparece muitas vezes. Em algumas, como órgão do nosso corpo, mas na maioria das vezes é como a síntese dos nossos sentimentos. Aliás, ainda hoje acontece. Nós dizemos: “aquele homem tem um bom coração”. Talvez tenha até sido operado do coração. Talvez dependa até de muitos remédios. Mas quando dizemos que ele tem um bom coração, queremos dizer é uma pessoa admirável e bondosa.

O que o coração de Jesus o que representa então? O Catecismo diz: Jesus conheceu-nos e amou-nos com um coração humano. O seu Coração foi transpassado para a nossa salvação. É símbolo daquele amor infinito, do qual amou o Pai, que ama cada um de nós. Então quando nós falamos do coração de Jesus, o nosso olhar deve voltar-se para o alto da Cruz.

No alto do Calvário, quando um soldado, para verificar se Jesus estava vivo - e Ele já tinha morrido - transpassou o Sagrado Coração, deixando o seu lado aberto, abriu o coração, e deste lado aberto jorrou sangue e água. Aquele sangue e aquela água são símbolos do Batismo, da eucaristia, da confissão, do perdão dos nossos pecados. Aquele sangue e aquela água são símbolos da confirmação, da ordem da ordenação do bispo, do sacerdote e do diácono. Aquele sangue e água são o símbolo do matrimônio, da união dos noivos, em esposos para sempre.

É símbolo da unção dos enfermos, preparando-nos para a viagem definitiva rumo à casa do Pai. Aquele sangue e aquela água que jorraram do coração de Jesus, que nascia naquele momento do lado aberto de Cristo – por isso a melhor representação que podemos ter e fazer do coração de Jesus – que nascia naquele momento do lado aberto de Cristo.

Por isso, a melhor representação que podemos ter e fazer do coração de Jesus, do lado aberto e transpassado, é dizer realmente: amou-nos até o fim. Sim, amou-nos até a última gota. Deu-se totalmente, deu todo o seu sangue, ao ponto de depois sair água porque não havia mais sangue para doar. Quando a gente fala em coração de Jesus, queremos sintetizar todo o amor de Jesus. O amor d’Ele ao Pai, que se oferece para fazer, a vontade do Pai. Mas aquele amor extraordinário, que se doa a nós. Amou-nos com um coração humano.

Por isso Ele está tão próximo de nós e é capaz de nos compreender. Porque Ele tem um coração como o nosso. Só que o Coração dele é Divino também. É um coração cuja palpitação é salvadora. É um Coração cujo amor é eficaz. Por isso, somos convidados a penetrar na intimidade do coração de Cristo, a entrar nesse lado aberto para aprender com Ele a como ver o Pai. A penetrar nesse lado aberto para aprender como ver o outro, como ver os acontecimentos, o necessitado, o maltrapilho. Aquele que recolhe do lixo a sua comida, não tem cobertas para se aquecer no inverno. Os doentes nos hospitais. Os encarcerados.

Enfim, ver como Jesus via é ter o coração de Jesus.

 

Comentários