“Concebido pelo poder do Espírito Santo”, o que significa essa expressão?
Sexta, 29 de Janeiro de 2016

Meus amigos e minhas amigas!
Em nosso estudo sobre o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica que aborda o credo e o creio, nós chegamos a essa pergunta que diz o seguinte: “Concebido pelo poder do Espírito Santo”, o que significa essta expressão?
Significa que a Virgem Maria concebeu o Filho eterno do Pai, no seu seio, por obra do Espírito Santo, sem a colaboração humana. Foi obra do Espírito Santo, sem a colaboração humana. O anjo, na anunciação, deixou claro a Maria, quando ela perguntou como se faria isso? O anjo fala do Espírito Santo que descerá sobre ela, e a sua sombra a tocará. Por isso, aquele que nascer dela, será realmente o Filho de Deus. Lucas 1.35.
É curioso Deus, que tem todo um projeto, um poder imenso, submeter-se ao sim de uma criatura. Porque ele vem fazer, através do anjo Gabriel, mensageiro de Deus, uma proposta à Maria. Vem apresentar o seu projeto, falar do seu desejo, mas respeitado a liberdade de Maria. Ao sim de Maria: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Houve a maior revolução na história da humanidade.
Quando visitei Israel em 1994, um lugar que me marcou muito foi Nazaré, pois foi naquele local que, na anunciação, Maria disse o sim a Deus e produziu uma verdadeira revolução: O verbo se fez carne e habitou entre nós. No seio de Maria, desde o seu sim, por obra do Espírito Santo, não por intervenção humana, habitava o verbo, a palavra de Deus, o próprio filho d’Ele.
Diante desse mistério a gente não sabe a quem mais louvar: se ao Pai, ao ver que tinha esse projeto grandioso; se ao Filho que se submeteu à vontade do Pai e aceitou vir até nós no seio de Maria. Vamos louvar o Espírito Santo, que cooperou nessa realização. Vamos agradecer à Maria, que com o seu sim colaborou, para que a encarnação acontecesse.
Eu diria assim, antes de tudo: Glória ao pai, ao Filho, ao Espírito Santo, por tal projeto e por tal iniciativa de amor. Agradeçamos também àquela que o Pai eterno escolheu. Não só escolheu, mas preparou o coração de Maria durante séculos e séculos, desde toda a eternidade, para que fosse digna de acolher o seu Filho querido.
Maria não tem merecimento nenhum, por esforço próprio. O que Maria recebeu e o que ela é, é por ação da graça de Deus. Por isso, também ela canta o magnificat, porque o Senhor realizou nela maravilhas. Agradeçamos, pois, ao Pai, ao Filho, ao Espírito Santo, os quais operaram a obra de encarnação e da redenção. E que Ele nos dê a graça de louvá-lo por aquela criatura que Ele nos deixou: Maria.

Comentários