Que ensinamento oferece-nos a vida oculta de Jesus em Nazaré?
Sexta, 08 de Abril de 2016

Meus amigos e minhas amigas! Queremos conhecer mais Jesus Cristo para amá-lo mais. Queremos penetrar no seu Mistério, para encontrar a resposta do nosso mistério também. E o Catecismo se propõe a isso, ajudar a ir penetrando nos Mistérios de Jesus Cristo. A Pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica trata do seguinte: Que ensinamento oferece-nos a vida oculta de Jesus em Nazaré? O que aquela vida oculta lá em Nazaré me oferece? O que ela tem a nos ensinar hoje? Esta vida oculta de Jesus tem despertado muita curiosidade. Se você for a qualquer livraria por aí, vai encontrar até dezenas de livros explicando a vida oculta com as fantasias mais mirabolantes. E nós nos esquecemos do essencial. A vida de Nazaré vem nos lembrar eue na vida humana tudo é importante. Nós vivemos numa época que valoriza grandes feitos, gestos extraordinários, palavras bombásticas, o que valoriza uma pessoa porque é capa de revista, porque ela aparece continuamente no noticiário. Não acreditamos muito naquela força daquela vida dos pequenos, no simples, porque não parece fazer história, porque a sua vida não se reflete nos meios de comunicação. Jesus, com a sua simplicidade de Nazaré, levando a vida numa família, trabalhando, aprendendo, rezando,vivendo ali em família, tendo os seus amigos, fazendo visitas. Vem nos ensinar que toda a vida humana é importante. Também aquela vida marcada pela rotina, pela repetição, também estes momentos são importantes, e são salvadores. Quer dizer, nós não aumentamos a nossa amizade com Jesus Cristo. Não crescemos na união com Ele apenas naqueles momentos de grandes sacrifícios, ou até momentos de oração. Todo o momento, cada momento de nossa vida pode ser de um valor imenso, infinito. O que pesa, o que vale, o que marca uma vida é a intensidade de amor que está naquele ato. Intensidade de amor pode ser uma vida escondida no Carmelo, pode ser no descascar batatas o dia todo. Se este gesto é feito com profunda comunhão com Jesus Cristo, como Ele vivia em profunda comunhão com o Pai, este gesto é salvador, porque quem salva é Deus. O que salva é o amor. Deus não vai nos premiar por termos sido famosos na terra, por termos ocupado cargos importantes, lugares de destaque. O seu prêmio vai nos caber se tivermos amado profundamente em cada momento, em cada situação. Nos grandes momentos e grandes decisões da nossa vida, ou naqueles pequenos momentos nos quais ninguém tomou conhecimento, que não fomos notícia em imprensa alguma, mas porque cheios de amor, marcados com profundo desejo de comunhão com Jesus Cristo, tornaram-se momentos salvadores. Que você valorize também a sua vida oculta, a sua vida de rotina, imitando assim Jesus Cristo, que passou trinta anos, a maior parte da sua vida, vivendo assim, oculto na família de Nazaré.



 

Comentários