Que significado tem a transfiguração
Sexta, 20 de Maio de 2016

Meus amigos e minhas amigas!


Estamos nos debruçando sobre o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, na parte ‘Creio em Jesus Cristo’. A parte traz os vários aspectos da vida de Cristo para que a nossa afirmação “Eu creio em Jesus Cristo” tenha realmente muito conteúdo e seja bem fundamentado. Daí que a pergunta do Compêndio é: Que significado tem a transfiguração?

A transfiguração foi um momento muito importante e até decisivo para os apóstolos Pedro, Tiago e João, que estiveram com Jesus. A transfiguração foi uma manifestação da Santíssima Trindade. Aliás, há uma frase tão bonita de São Tomás de Aquino que diz assim: “O Pai (na Transfiguração) aparece na voz. Este é o meu Filho amado.

O Filho, Ele aparece ali no homem, que é Jesus Cristo. O Espírito Santo aparece na nuvem brilhante. E da parte de Jesus, evocando Moisés e Elias, Jesus mostra que a sua Glória passa pela CRUZ”. E com isso, Ele prepara os apóstolos, que tinham uma concepção diferente de salvação.

Eles esperavam que uma hora Cristo os libertaria do poder dos Romanos. Cristo, quem sabe, teria forças, exército e teria todo um Ministério. Assim, eles ocupariam lugar à direita, à esquerda. Enfim, a concepção de salvação para os apóstolos era fruto da época.
Era a ideia que os seus contemporâneos tinham de que o Messias viria com poder e com força. Viria com autoridade.

Jesus quer preparar os apóstolos para aquilo que realmente vai acontecer: A SALVAÇÃO PASSA PELA CRUZ. Pelo fracasso aparente. Pelo sofrimento. Mas que eles não se esquecessem daquele que um dia estaria sendo rejeitado, ridicularizado, coroado de espinhos. Aquele que arrastaria uma cruz em direção do Calvário. Este que um dia abriria os braços numa cruz ERA O FILHO DE DEUS, E DEUS ELE MESMO.

Que naquela hora se lembrassem “mas eu vi transfigurado, vi a sua divindade transparecer”. Que aquela lembrança fosse uma força para Ele. Eu penso que este momento deva ficar bem gravado em nós. A transfiguração também para nós. Quantas vezes temos a impressão de pertencer a uma igreja fracassada.

Frágil, e é frágil porque nós somos os seus membros. Quantas vezes achamos que Deus nos abandonou. É sofrimento sobre sofrimento. É doença. É desemprego. É incompreensão de toda parte. E onde é que está Deus?

Que a lembrança da transfiguração ajude-nos a lembrar que sim, atrás de tudo isso, conduzindo tudo isso está o vitorioso. Aquele que é mais forte do que o pecado, do que o sofrimento e do que a morte. Em outras palavras, que o sofrimento é componente essencial da salvação. Que nós também pela cruz, pela morte, somos chamados a encontrar a vida que Jesus Cristo veio nos trazer.

Para que esta convicção marque os passos de sua vida, façamos a oração da divina misericórdia.



 

Comentários