Qual a importância do mistério pascal de Jesus?
Sexta, 03 de Junho de 2016

Meus amigos e minhas amigas!

Creio em Jesus Cristo. Debruçando-nos sobre o credo, encontramos uma passagem que vai ao mistério central de nossa fé. Creio em Jesus Cristo, que padeceu sob Poncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado.

À luz dessa afirmação nasce a pergunta: qual a importância do mistério pascal de Jesus? Antes de tudo é importante ficar claro, quando se fala em mistério pascal, o que se entende? Significa: paixão, morte, ressurreição e glorificação de Jesus Cristo. Vejam bem, mistério pascal é: paixão, morte, ressurreição e glorificação de Jesus Cristo. Então a pergunta, qual a importância do mistério pascal: a paixão?

Morte? Ressurreição? Glorificação de Jesus Cristo? A fé nos diz que este mistério pascal está no centro de nossa fé. Nada adiantaria os milagres de Jesus. Nada adiantaria as suas palavras se Ele não tivesse morrido, ressuscitado e glorificado à direta de Deus, e Ele, dando-nos a graça de um dia participar de sua glória.

O mistério pascal está então no centro de nossa fé. A Páscoa está no centro de nosso ano litúrgico. Tudo converge para ela e depois flui dela. O mistério pascal de Cristo é essencial, está no centro. Como dizemos, é o que faz a diferença quando nós, na Semana Santa, contemplamos Cristo, que assume a cruz. Cristo que é pregado na cruz. Cristo que morre na cruz, mas Cristo, que no domingo da Páscoa, ressuscita.

Nós contemplamos a razão da vinda de Cristo ao mundo, que depois se completa quando Ele sobe ao Pai. Como Ele diz, para nos enviar o Espírito Santo. Ele glorificado. Ele junto ao Pai recebe o Espírito Santo e o derrama sobre nós. Por isso, a nossa vida deve estar muito centrada na Páscoa, na passagem de Cristo. Por isso, também a eucaristia, que é uma celebração de toda a vida de Cristo, é celebração desta Páscoa de Cristo, da sua paixão, da sua morte, da sua ressurreição, da sua glorificação. E quando participamos da eucaristia, da santa missa, participamos deste mistério. Aproximamo-nos d’Ele. Somos envolvidos por Ele. Na liturgia da vida da igreja, nós não contemplamos apenas os mistérios. Nós vivemos da força que nasce d’Ele. Mas estes mistérios estão aí, diante de nós, não mais de forma cruenta, mas na fé. Nós acreditamos porque por trás destes acontecimentos, há a afirmação de Cristo: "fazei isto em memória de mim". Nossa vida, portanto, deve ser uma Páscoa, uma participação da paixão, morte, ressurreição e glorificação de Jesus Cristo, e é para isto que a igreja existe, para este anúncio. Para anunciar que Cristo, que morreu, que ressuscitou, está vivo, vitorioso diante de Deus, intercedendo por nós, enviando-nos continuamente o Espírito Santo e querendo um dia nos acolher, para nos apresentar ao Pai como fruto da sua paixão, morte e ressurreição. Que esta sua crença cresça cada vez mais em cada um de nós.
 

Comentários