Com que acusações Jesus foi condenado?
Sexta, 10 de Junho de 2016

Meus amigos e minas amigas!

Estamos professando a nossa fé nas verdades que a Igreja recebeu dos apóstolos. Eles receberam de Cristo verdades que orientam a nossa caminhada e nos fazem optar por determinadas decisões a cada dia. A pergunta de hoje, nesse sentido, é “Com que acusações Jesus foi condenado?”, a qual provém do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica.

Nós sabemos que os judeus não tinham poder de condenar. Quem possuía esse poder era o poder romano, especialmente na figura de Pilatos. Mas os judeus tinham que levar uma acusação séria, que fosse levada em conta por Pilatos, para que ocorresse um processo de julgamento, condenação e crucifixão na Cruz, a qual era a morte mais vergonhosa.

Assim, as acusações que Jesus recebeu foram, especialmente:

a) Agia contra a Lei.
A Lei era o grande patrimônio do povo de Deus. “Está aqui alguém que age contra a Lei”, diziam eles.

b) Queria agir contra o templo de Jerusalém.
O templo era considerado tão grande e tão majestoso. E o que Jesus disse dele? “Destruí este templo, e Eu o construirei em três dias”. Eles pensaram: “mas que absurdo, como Ele vai construir este templo que levou anos?” O que eles não sabiam é que Jesus falava do templo que era o seu corpo.

c) Os ensinamentos dele iam contra a fé do Deus único.
Ele se proclamava Filho de Deus. Perguntavam-se, então, “há dois deuses?”. “Deus criador, aquele que adoramos, e agora este que se diz Filho. Isto é uma blasfêmia”.

Por tudo isso pediram a condenação de Jesus. O entregaram à morte, para que fosse crucificado, para que fosse realmente humilhado. Aquela morte mais dolorosa. Não só de mais sofrimento físico, mas também de sofrimento moral. Na verdade, por trás da condenação de Jesus estava o nosso pecado. O seu pecado. O meu pecado. Foi o nosso pecado.

Foi o nosso pecado que realmente condenou Jesus Cristo. Essa é a verdadeira causa da paixão e morte de Jesus Cristo. Isso Pedro deixou bem claro, quando no dia de Pentecostes teve a coragem de dizer: “Vós o matastes”. Muitos daquele que estavam ali
escutando Pedro no Pentecostes, nem estiveram lá no Alto do Calvário. Mas para Pedro era claro: o pecado. O nosso pecado. É que havia levado Jesus à morte. O restante foi a causa próxima.

Isso fez com que Pilatos aceitasse aquela proposta. E até, eu diria, de forma muito covarde. Porque ele, Pilatos, não queria ficar contra o povo, que ameaçava Pilatos, pois era amigo de César. Mais do que aquelas acusações por trás da condenação de Cristo,
estava o teu, o nosso pecado. Por isso, mais do que julgar os outros, batemos em nosso próprio peito, dizendo: eu me reconheço pecador.

Que a tua salvação, o teu sangue caia sobre mim, porque eu sou pecado.

Comentários