Qual foi a atitude de Jesus em relação ao templo de Jerusalém?
Sexta, 24 de Junho de 2016

Meus amigos e minhas amigas!

Estamos estudando o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, esse presente que nasceu por pedido de João Paulo II. Na época, era responsável o cardeal Ratzinger; aprovado pelo Papa Emérito Bento XVI. A pergunta da coluna trata do templo de Jerusalém: Qual foi a atitude de Jesus em relação ao templo de Jerusalém? Nós sabemos que o templo ocupava um lugar único na vida do povo de Deus.

O grande sonho de cada fiel era ir ao templo, ou melhor, subir ao templo porque ficava num lugar mais alto que as outras cidades. E há até vários salmos com o título “ir ao templo”. Ir ao templo era participar de um encontro com Deus. Como Jesus olhou esse templo? Ele foi muitas vezes acusado de hostilidade ao templo, como se não gostasse do local. Mas, na verdade, Ele o venerou como morada do Pai. Basta lembrarmo-nos daquele episódio em que Ele ficou indignado contra os vendilhões e perguntava o que estavam fazendo com o templo de Jerusalém, transformando a casa de seu Pai numa casa de comércio. Jesus consagrou boa parte do seu tempo na pregação ali, nas cercanias do templo.

O templo de Jerusalém não era como pensamos uma Igreja nossa. Não! Era todo um conjunto de construções onde havia um espaço onde Jesus ensinava. Tudo demonstra que Ele, Jesus, gostava de ensinar lá. Foi um grande problema quando Ele predisse a destruição do templo; para os seus contemporâneos, isso era uma blasfêmia, como se fosse impossível. Mas isso era uma obra material. Um dia, estava sujeito a decompor-se. Isso aconteceu no ano 70 da era cristã, quando foi destruído.

Então o templo, como em contrário ao que muitos pensavam, ele não valia por si mesmo. Valia como símbolo da presença de Deus no meio do seu povo, símbolo do nosso próprio corpo, chamado um dia a ser templo do Espírito Santo. Jesus deixou claro que o verdadeiro templo de Deus era o seu corpo.

O seu corpo de filho de Deus, filho de Deus encarnado, que aceitou morar entre nós. Então tudo isso fica claro. Jesus amou, respeitou e deu um realce ao templo, como um lugar de oração, mas também deixou claro que no campo material tudo é relativo. Mesmo em nossas mais belas Igrejas, seculares, históricas, marcadas por tantos fatos grandiosos, nem esses possuem uma vida eterna. Mas o nosso corpo, templo do Espírito Santo, este sim é um templo que merece todo o nosso respeito. Como merece respeito o corpo do meu amigo, o corpo de minha amiga, templo de Deus, como merece nosso respeito. E como vai pedir contas daqueles que abusam do seu corpo ou usam mal o corpo do seu irmão fazendo dele instrumento de pecado, quando é chamado a ser o templo de Deus, respeitar o corpo, cuidar da saúde. É uma forma de respeitarmos a lei de Deus, a nosso respeito. Que o seu corpo como templo do Espírito Santo, receba de sua parte todo o respeito e amor.

Comentários