Quem é responsável pela morte de Jesus?
Sexta, 08 de Julho de 2016

Meus amigos e minhas amigas! Uma questão geralmente abordada na Semana Santa em jornais, revistas, noticiários e televisão é a questão de quem é responsável pela morte de Jesus. O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica trata justamente desta questão, dizendo assim: Quem é responsável pela morte de Jesus?

É importante ficar claro, a Paixão, os sofrimentos, a morte de Jesus, não podem ser atribuídos indistintamente aos judeus daquela época e muito menos aos judeus de nosso tempo. Eu diria que foram o instrumento, mas a morte de Jesus Cristo, na verdade, tem como causa o pecado, o pecado da humanidade. Qual é o pecado da humanidade? O meu pecado, o seu pecado, nós somos culpados.

Pedro deixou muito claro no Domingo de Pentecostes, quando fez aquele discurso para a multidão, deixando claro que eles eram culpados pela morte de Cristo. Mais culpado é quem, como nós, são conhecedores da gravidade do pecado. O pecado significa ofensa a Deus; quando nós cometemos pecado, nós somos os causadores da Paixão e morte de Cristo.

Eu diria, mais de certa forma, com o nosso pecado estivemos lá presentes no Horto das Oliveiras, no caminho do Calvário, e lá no alto da Cruz. Admitir isto é reconhecer que a causa real da morte de Cristo não foi motivo político. Não foram circunstâncias históricas apenas. Isso tudo, diria assim, são acidentes. A gravidade deve-se ao pecado da humanidade. Por isso, devemos trabalhar contra o pecado em nossa vida. Não admitir o pecado e, mais ainda, converter-nos, buscando uma vida nova.

É fazer com que todo aquele sofrimento de Cristo tenha um efeito sobre nós, sobre a humanidade. Não basta chorar os outros sofrimentos, que outros causaram a Cristo lá na sua Paixão. Choremos, antes, sobre nós, por causa da nossa infidelidade e incapacidade de vermos o mal que faz o pecado em relação à Glória de Deus.

Portanto, a nossa primeira ação é: abolir o pecado. Lutar. Não admiti-lo como uma realidade na nossa vida. É uma realidade, mas não devemos aceitar viver no pecado. Trabalhar, sim, para vivermos na graça santificante - essa presença viva de Deus em nós. Ele quer fazer em nós a sua morada. Templo Santo. Ele quer viver em comunhão conosco. Ele quer também ser realmente um Senhor de nossa vida.

Por isso, devemos lutar contra o pecado e as suas causas e trabalhar para que a vida da graça seja vivida por todos. Isso é agir de acordo com a vontade de Deus, porque a vontade dEle, você sabe, é a nossa santificação. Para que você alcance essa santidade, viva na santidade. Para que a graça seja uma realidade permanente em sua vida, vivamos com Deus.

Comentários