Quais são os efeitos do sacrifício de Cristo na cruz?
Sexta, 12 de Agosto de 2016

Meus amigos e minhas amigas!

Louvado seja Cristo que abriu-nos o caminho em direção ao Pai. É isso que nos ensina o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica na pergunta: Quais são os efeitos do sacrifício de Cristo na cruz? Quais os efeitos? Sabendo que Jesus ofereceu a sua vida em expiação por nós, e por nossos pecados. Ele é Santo. Ele não precisava passar por tudo aquilo, por aquele sofrimento. Mas assumiu o nosso pecado.

O que significa fazer seu o nosso pecado? Ele se apresentou diante do Pai como O pecador. Aquele que tinha feito todo o pecado da humanidade. Como se todo o pecado da humanidade estivesse pesando sobre Ele. Ele assume, é seu o pecado o nosso pecado.

E se oferece ao Pai para reparar esse pecado, que na realidade é meu, que é seu, que é de nossos irmãos: homens e mulheres. E porque é um ato de amor, de entrega e de expiação do Filho de Deus.

É um ato que nos reconcilia com o Pai, o que é o principal efeito do sacrifício de Cristo na cruz, reconciliar-nos com o Pai, criar uma ponte de comunhão com o Pai, fazer-nos realmente filhos de Deus. Sim, porque assumindo-nos como irmãos, Jesus se apresentou ao Pai conosco. Olha aqui aqueles que eu conquistei com a minha obediência, meu sangue, minha fidelidade e com meu amor.

O Pai havia enviado o seu Filho porque Ele não queria nos perder, porque queria nos ter ao seu lado eternamente, cantando as suas maravilhas, o seu amor e a sua misericórdia. Jesus aceitou este sacrifício. Se Adão pecou pela desobediência, Jesus Cristo reconciliou-nos pela obediência. O que é a obediência? É um ato de submissão, de amor; obedecer é escutar. É colocar-se em sintonia com o outro, conhecer a sua vontade e colocá-la em prática. Reconciliou-nos.

Agora, o nosso caminho está aberto. Agora depende de cada um de nós. A nossa reconciliação está feita. A redenção nos é oferecida, e agora nos cabe aceitá-la. Somos introduzidos nesta caminhada de salvação através do Batismo. E depois, na medida em que tomamos consciência de nossa responsabilidade, somos convidados, e estamos aptos a dizer “eu quero a Redenção de Cristo, eu quero ser filho de Deus. Eu quero também participar deste processo da filiação divina. Eu quero viver como filho de Deus para a Glória do Pai, para a alegria de Jesus Cristo, que deu a vida por nós. Para agradecer a certeza do Espírito Santo em nós e agradecer ao Espírito Santo, que encontrou em nós um Eco Favorável.

Para que você aceite esta Reconciliação com alegria e se torne vida da sua vida, façamos a Oração da Misericórdia.

Comentários