Que “sinais” atestam a ressurreição de Jesus?
Sexta, 16 de Setembro de 2016

Meus amigos e minhas amigas! Louvado seja Jesus pela vida e por nos dar a salvação. O compêndio do catecismo da Igreja Católica trata dos sinais e, por consequência, obtemos a seguinte pergunta: que sinais atestam a ressurreição de Jesus? No momento da ressurreição, não havia ninguém presente. Então, nós acreditamos em um fato para o qual, à primeira vista, não há comprovações, mas, na verdade, há e são várias. A primeira delas é o túmulo vazio, encontrado com tudo arrumadinho. Ladrões que roubam o corpo não se preocupam em arrumar a casa e, menos ainda, um túmulo que foi arrombado.

Depois, temos o testemunho das mulheres, que foram as primeiras a encontrar Cristo ressuscitado e anunciaram aos apóstolos. O testemunho delas foi muito forte. E temos mais testemunho: Jesus apareceu a Céfas, a Pedro e, depois, aos doze ele apareceu. Deixou-se tocar por eles e permitiu que um deles, Tomé, colocasse as mãos em suas chagas. Comeu com eles, preparou-lhes peixes à beira do lago de Genezaré. Mais ainda, apareceu para mais de quinhentas pessoas de uma só vez, como lemos na carta de Paulo aos Coríntios 15, 5-6. “Apareceu a mais de quinhentos irmãos, que puderam vê-lo, que puderam ouvi-lo, e que puderam ser testemunhas da Ressurreição”.

E é importante ressaltar também o seguinte: Os apóstolos não poderiam inventar a ressurreição de Cristo, uma vez que esta lhes parecia impossível. Jesus chegou a repreendê-los pela sua incredulidade. Como é que eles iriam falar do ressuscitado, se nem eles estavam acreditando que isso aconteceria? Quando eles foram embalsamar o corpo de Jesus encontraram o corpo de um morto, de uma pessoa querida que eles haviam conhecido. E tudo voltou à estaca zero. Eles não poderiam ter inventado tal história. Cristo ressuscitou e isso foi comprovado.

No caminho de Emaús, quando Jesus encontra os dois discípulos e caminha com eles, ambos estavam desanimados porque tinham posto a esperança nele, como diziam eles ao desconhecido que não sabiam que era Cristo. Tudo havia terminado. Sua esperança se esvaziava. Voltavam agora para Emaús, isto é, para sua vida medíocre, sem muito sentido. Jesus mostrou, pelas escrituras, tudo aquilo que estava previsto. Mais tarde eles constataram que, quando ele falava, seus corações ardiam. E então descobriram que tinham estado com o ressuscitado, que ele desapareceu na hora em que eles o acolheram em casa e ele partiu o pão. Os dois voltaram para Jerusalém, para proclamar que Cristo ressuscitou, e encontraram a comunidade também fazendo esse anúncio, pois esta igualmente teve a experiência de ver o Cristo ressuscitado. E a igreja vive deste anúncio: Cristo ressuscitou! Ele está vivo! Ele é a razão de nossa alegria! Para que esta verdade penetre em seu coração, façamos a Oração da Divina Misericórdia.

Comentários