Quais são a origem e a consumação da igreja?
Sexta, 24 de Fevereiro de 2017

Meus amigos e minhas amigas! À luz do que nos ensina o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, estamos nos debruçando sobre a Igreja. Eu creio na Igreja Católica e a pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é: quais são a origem e a consumação da igreja? Origem e consumação? E o Catecismo responde, a igreja encontra a sua origem e a sua realização plena no eterno desígnio de Deus. Deus que sonhou com a Igreja. A Igreja é fruto do coração amoroso de nosso Deus e esta Igreja, a sua Igreja, a nossa igreja, foi preparada no Antigo Testamento, com aquela escolha de Israel, que já tinham muitas das características da nossa Igreja. Aliás, aqueles que foram fiéis, aqueles que acolheram as profecias, as palavras de Deus, as guardaram, as viveram e nos transmitiram.

Vamos ver que com razão São João Paulo II chamava estes nossos irmãos de nossos irmãos mais velhos. A Igreja depois foi fundada pelas palavras e ações de Jesus Cristo. A palavra e a ação de Jesus Cristo, tudo isso, ajudou a fundar a Igreja e a dar os seus fundamentos, e foi realizada pela Sua paixão, pela Sua morte de cruz, e pela sua ressurreição.

A Igreja mostrou que este sonho de Deus é um sonho viável, possível e fonte de alegria para aqueles que aceitam pertencer à Igreja.

Depois, a Igreja foi manifestada como mistério da salvação mediante a efusão de Pentecostes. Ali em Pentecostes os próprios apóstolos foram os primeiros a entender quais eram os sonhos de Jesus. Até ali as palavras, os milagres de Jesus estavam em sua cabeça, mas eles não viam muita conexão entre uma coisa e outra, não tinham clareza, mas com a vinda do Espírito Santo, tudo ficou claro, e eles saem de Jerusalém, e saem pelo mundo para anunciar o Evangelho, isto é, para levar a Igreja a todos os povos e nações, e agora esta Igreja terá sua plena realização.

No fim dos tempos, com a assembleia celeste de todos os redimidos. Quer dizer, Deus quer a salvação de todos, de todos os que foram criados, a sua imagem e semelhança.

Em vista disso, Ele enviou o seu Filho, como redentor, como aquele que restabeleceu a comunhão nossa com Ele, e quer agora que nós vivamos no meio de um povo, celebrando os seus louvores, colocando em prática enfim, os ensinamentos de Jesus Cristo.

Desta forma, estaremos preparando-nos para aquele momento em que Cristo for tudo em todos. Trabalhemos, pois, na construção da Igreja. Rezemos pela Igreja. Saibamos amar a nossa Igreja, como uma Mãe querida que cuida de nós. Acompanha-nos, e nos leva a Jesus.

Comentários