Em que sentido igreja é mistério?
Sexta, 10 de Março de 2017

Meus amigos e minhas amigas! Muitas vezes você ouviu a palavra mistério, especialmente com relação da vida da igreja, a vida espiritual.

O que é mistério? Mistério são aquelas realidades que mostram alguma coisa, mas que, ao mesmo tempo, escondem alguma coisa.

Por isso, é muito oportuna a pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica:
Em que sentido a igreja é mistério?

está presente e operante. Uma realidade Espiritual, divina. Em outras palavras, há na igreja aquilo que aparece, aquilo que vemos, aquilo que tocamos, a palavra de Deus lida, os sacramentos com sinais sensíveis, a prática da caridade, a caridade que vivemos cada dia, as formas e fórmulas de oração. Mas há também uma realidade que não se vê.

Uma realidade divina.

Não conseguimos tocar na graça, não conseguimos abarcar a graça. Graça é esta realidade divina que vai aos corações, que vai às comunidades. Por exemplo, Jesus Cristo disse que, quando duas ou três pessoas estiverem reunidas em Meu Nome, Ele estaria no meio delas. Então nos reunimos e acreditamos nesta presença, mas não vemos. Há uma realidade, pois, que aparece, a comunidade reunida, mas há uma vida que não aparece e é extraordinária.

A presença de Cristo, com razão, nós chamamos a igreja de mistério neste sentido.

Há o que vemos. Há o que sentimos. Há o que apalpamos, mas há também aquilo que só pela fé nós acreditamos que exista. E como diz mesmo o catecismo, esta realidade que se descobre unicamente com os olhos da fé.

Eu derramo água sobre uma criança e digo: eu te batizo em nome, do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

O que as pessoas presentes no batismo veem, este meu gesto de derramar água e dizer estas palavras, mas aquela realidade que está acontecendo, aquela realidade divina que Deus está habitando, tomando posse desta criança ou adulto, ela está se tornando templo da Santíssima Trindade. Isto não vemos, mas acreditamos que é uma verdade. E assim poderia dar uma série de exemplos sobre a igreja e seu mistério.

Por isso, diante da igreja, que quer muito cuidado, não querer examiná-la a luz da ciência, Porque aí sim, seria um desastre. E, aliás, não entenderíamos, não seríamos capazes de compreender. Seria como alguém querer entender o relógio, separar todas as peças, e, no final, ele tem todas as peças. Dificilmente ele vai dizer isto é um relógio. São peças.

Às vezes a gente quer dissecar a igreja. A igreja exige de nós um ato de fé, fé naquele Deus que a concebeu, fé em Jesus Cristo que veio instaurá-la, fé no Espírito Santo que age, fé no Espírito Santo que atua na igreja para que você, pela fé, penetre no mistério da igreja.

Comentários