Quais são as características do povo de Deus?
Sexta, 31 de Março de 2017

Meus amigos e minhas amigas! Estamos refletindo sobre a igreja e, para nos ajudar nesta nossa reflexão, está aí, diante nós e a nossa disposição, não só o catecismo da Igreja Católica, que é riquíssimo de orientações para os catecismos diocesanos ou nacionais, mas temos agora o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, com perguntas e respostas que nos ajudam a penetrar nas riquezas que Cristo deixou à sua igreja. E agora a questão que se coloca é: Quais são as características do povo de deus?

Quais são as características deste povo, formado por vontade de Deus? Este povo, ao qual nós pertencemos pela fé e pelo batismo, tem origem em Deus Pai. É belíssimo saber disto, que o povo de Deus, a igreja como povo de Deus, não nasceu no coração de um Santo, não nasceu no coração humano, mas nasceu no coração do próprio Deus.
Este povo de Deus tem por cabeça Jesus Cristo. Vejam um povo que tem como responsável, um povo que tem como líder Jesus Cristo, um povo, que tem como a cabeça nosso Senhor. Este povo tem como dignidade, melhor, tem por condição, a liberdade e a dignidade dos filhos de Deus. Então o que este povo procura? Viver como filhos de Deus. Esta é a nossa dignidade.

Daí as consequências: respeitar cada irmão, respeitar cada irmã, não importa a sua situação social. Foi criado à imagem e semelhança de Deus. Ele merece todo o nosso respeito. Este povo de Deus tem um mandamento, o mandamento do amor, que resume toda lei, que resume todos os profetas. É o povo que existe para amar a Deus e para amar os irmãos. Se estiver fazendo isto, está cumprindo a sua finalidade. Se perder isso, está perdendo a sua razão de ser.

A lei, pois, máxima deste povo que Deus convocou e que Deus reúne, é o amor, é a grande vocação. E este povo tem como Missão: ser sal da terra, ser luz do mundo. É mudar a mentalidade deste mundo.

Imaginem se nós, batizados, que temos fé em Jesus Cristo, se vivermos intensamente esta nossa fé, como mudaremos o mundo? Como transformaremos o mundo?

Agora, se formos medíocres, acontecerá o mesmo com o sal quando perde a sua força e o seu sabor. E o povo de Deus tem como fim o Reino de Deus.

O Reino de Deus já iniciado aqui na terra, mas este povo de Deus deve continuamente apontar este Reino, mostrar este Reino e ensinar a todos que a realidade deste mundo passa.

Não vale a pena apegarmo-nos a tantas coisas que tem um sabor de uma bolha de sabão.

Bonita. Colorida. Mas quando a pegamos na mão, vemos que não temos nada entre os dedos.

Quanta gente luta na busca da fama, quanta gente luta na busca da riqueza, quanta gente luta na busca do poder, e, de repente, no final de sua vida, pergunta-se:

De que adiantou tudo isso? O que eu levo disto tudo? O que fica de todo o poder que eu tive? De toda a fama que eu tive? De todas as homenagens que eu tive? De todas as honras que eu recebi?

O grande Primeiro Ministro da Inglaterra, Winston Churchill, famoso na Segunda Guerra Mundial quando, no final da sua vida, no seu leito de morte, deixou sair de sua boca a seguinte expressão: “Quão tolo que fui”. Sim, quantas pessoas morreram fruto de suas decisões na guerra e agora, no fim da vida: “Quão tolo, quão bobo, para não dizer quantas coisas que poderiam ter sido bonitas que eu perdi”.

E agora senhor Churchill, a vida acabou, a luz apagou, o povo sumiu, e o Reino de Deus precisa de pessoas valentes! O Reino do Céu precisa de pessoas vibrantes! O Reino do céu precisa de pessoas operantes! O Reino do Céu precisa de pessoas positivas! O Reino do céu precisa de pessoas que entrem nele! Se convertam e vivam os seus valores!

Comentários