O que são os carismas?
Sexta, 12 de Maio de 2017

Meus amigos e minhas amigas! Estamos refletindo, estamos estudando, aprofundando-nos no tema Igreja a partir da afirmação do Credo, eu creio na Igreja e na Igreja, vendo a ação do Espírito Santo, nós nos deparamos com carismas.

Carisma, uma palavra hoje muitas vezes usada até em sentido muito diferente, mas, na Igreja, o que significam carismas? Esta é a pergunta do Compêndio do Catecismo, da Igreja Católica. E o Compêndio responde, os Carismas são dons especiais. Há dons que todos nós recebemos, por exemplo, a criação divina, que é o maior dom possível.

Mas, há também na Igreja, constata-se a presença de dons espirituais que o Espírito Santo concede. Se esses dons nascem do Espírito Santo, são dons do Espírito Santo. Devem ter uma finalidade, e quais são estas finalidades? Em primeiro lugar, os carismas são dados para o bem dos homens e mulheres. Para o bem, se alguém tem um carisma, tem dom especial, é importante que tome consciência disso. Esse dom não é para o seu enaltecimento. Esse dom não é para alimento de sua vaidade. É para o bem das pessoas que o Senhor colocou ou coloca em seu caminho. Esta primeira finalidade dos carismas é para o bem dos fieis.

Uma segunda finalidade: as necessidades do mundo. Por isso, há dons que o Espírito Santo dá numa época e não dá noutra, porque naquela época há necessidade daqueles dons. E a gente olhando a história do mundo percebe como em determinadas épocas surgiram pessoas extraordinárias, com dons especiais, que realmente fizeram um bem imenso. Dons em vistas das necessidades do mundo. Imaginem que tais pessoas, se tivessem fechado nas suas vaidades, ou ainda pior, no seu orgulho, e se auto enaltecido com aqueles dons. Que perda para a humanidade. E que desvio de rota dessas pessoas.

Há uma terceira finalidade dos carismas: para a edificação da Igreja.

Quer dizer, a função do Espírito Santo é edificar a Igreja, e não significa que Ele vai realizar esta obra diretamente. Usa de pessoas que Ele chama e dá uma vocação. Que dá uma missão especial, para que o corpo de Cristo cresça, para que o corpo de Cristo se fortaleça, para que o corpo de Cristo se santifique, sempre para a edificação da igreja. Com isto, a gente vê que, nos carismas, não há espaços para o egoísmo. Não há espaços para o individualismo. Se alguém recebe um dom, é para colocá-lo a serviço dos outros. Sempre. E reconhecer os dons é o princípio de sabedoria.

Como é que eu vou colocar em prática um dom se eu não o reconheço que eu o tenho? Se não aceito que eu tenho? E, pior, se eu não atribuo ele ao Espírito Santo? Então, reconhecer se você tiver algum dom, reconheça. Eu tenho. Louve ao Senhor por isso. Edifique a Igreja. Ajude o mundo. Ajude a sua comunidade. Mas, os carismas exigem, às vezes, discernimento. Saber se realmente é carisma do Espírito Santo, ou é uma autossugestão. E aí vem a missão da Igreja, de discernir os carismas. E, para isso, ela goza da assistência do Espírito Santo, para que os carismas que o Senhor deu a você sejam colocados em prática e frutifiquem, para o bem de toda a comunidade da Igreja.

Comentários