Porque a Igreja é una?
Sexta, 26 de Maio de 2017

Meus amigos e minhas amigas! Estamos nos debruçando sobre a Igreja.

Eu Creio na Igreja, e o catecismo sempre tradicionalmente nos lembrou quatro importantíssimas verdades desta igreja: a Igreja é uma, a Igreja é santa, a Igreja é católica, a Igreja é apostólica. E dedicaremos alguns artigos para apresentar e analisar cada uma destas facetas dessas riquezas da nossa Igreja a partir da pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, que faz a seguinte questão: Por que a Igreja é una? O que dá unidade à Igreja? Ela é una porque tem origem na Santíssima Trindade, na Unidade da Santíssima Trindade. Três pessoas. Um só Deus.

Ora, se a Igreja tem sua origem na Trindade, que é una, a Igreja também deve ser una.
Depois, a Igreja é una porque tem como fundador e cabeça Jesus Cristo. O que Jesus Cristo veio fazer no meio de nós para estabelecer a unidade de todos os filhos de Deus e nos conclamar à unidade. Jesus Cristo morreu rezando e pedindo ao Pai: “Pai, que eles sejam um”. Ora, se Cristo veio trabalhar pela unidade, Jesus Cristo rezou pela unidade, a Igreja necessariamente deve ser una. Mais ainda, ela é una porque tem como alma, o Espírito Santo, que une todos os fiéis na comunhão com Cristo. Essa é a missão do Espírito Santo, aproximar todos e ir nos aproximando todos em torno de Jesus Cristo na unidade para que haja um só rebanho e um só pastor. Então, a Igreja deve sempre trabalhar pela unidade.

Diabo significa Divisão. Pecado é divisão. Pecado é egoísmo. A graça significa sempre união. A graça significa sempre unidade. A Igreja tem uma só fé. Uma só fé, também sintetizada no credo. Tem uma só vida sacramental, mesmo na Igreja Católica e Oriental, que tem ritos diferentes, mas os sacramentos são os mesmos, embora dados e fórmulas um pouco diferentes.

A Igreja é una porque tem uma só sucessão apostólica e a função do sucessor de Pedro, bispo de Roma, é de dar unidade a toda à igreja, às Igrejas particulares. É a grande função de Pedro e de seus sucessores buscar a unidade em Cristo Jesus. E aqui vai um princípio sapientíssimo de Santo Agostinho. Santo Agostinho dizia: “Nas coisas essenciais da Igreja deve haver unidade. Nas acidentais, liberdade. E em tudo, a caridade”. E também a Igreja é una porque tem uma comum esperança, porque tem em comum uma mesma caridade.

Esperamos que Jesus Cristo nos acolha. Esperamos em Jesus Cristo um novo céu.

Esperamos uma nova terra e vivemos do mesmo amor.

Ora, então não pode ser uma Igreja dividida. Precisamos trabalhar pela unidade.

Isto veremos nos próximos artigos. É um trabalho que corresponde à vontade de Deus.
Porque a vontade de Deus é que vivamos unidos, que esta consciência da unidade esteja em seu coração.

Comentários