Que ligação há entre a Igreja Católica e as religiões não cristãs?
Sexta, 21 de Julho de 2017

Meus irmãos e minhas irmãs! Creio na Igreja, creio na Igreja Católica. À luz dessas verdades, nós já vimos qual o relacionamento com as religiões cristãs não católicas, o nosso relacionamento com nossos irmãos hebreus. Hoje a pergunta completa esse conjunto de ideias. A pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é “Que ligação há entre a igreja Católica e as religiões não cristãs?”.

Antes de mais nada há algo em comum entre a Igreja Católica e as religiões não cristãs. Na origem e no fim de todo o gênero humano, todos nós pertencemos à mesma espécie humana. Todos nós católicos, ou não cristãos, ou cristãos não católicos, todos nós saímos das Mãos do Criador. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Mas a Igreja Católica reconhece que tudo o que há de bom e verdadeiro nessas religiões não cristãs vem de Deus, pois tudo o que há de bom e verdadeiro vem dele.

Só Deus é bom e só Ele é a verdade. Ele é toda a verdade, todo o fragmento (pedacinho) da verdade vem dele. Portanto, tudo o que encontrarmos de bom numa religião não cristã. É uma expressão do Concílio Vaticano II, realizado de 1962 a 1965. “Ali estão sementes do Verbo”. Isto é, de certa forma, tudo aquilo que Deus semeou nessas religiões é para preparar a acolhida ao Evangelho. Se veio de Deus, deve voltar para Deus.

Essa semente do Verbo deve também levar à unidade do gênero humano, à unidade em Cristo Jesus, à unidade da igreja. Por isso que a Igreja Católica se interessa por conhecer tudo aquilo que há de bom e verdadeiro em outras igrejas, pois não podemos ser daqueles que não admitem nada de bom, isso seria uma ofensa àquele que é a bondade e a Verdade.

Se é verdade que a Igreja Católica tem a plenitude da revelação, não significa que não existem, também, em religiões não cristãs, semente do Verbo. Isto é, eu diria assim, traços de Deus, para que através deles os homens se aproximem de Cristo, de sua igreja, da forma como Cristo quer formar esse povo, na força do Espírito Santo.

Cabe-nos, pois, pensarmos e ter sempre no nosso coração a necessidade de rezar pelos não cristãos. Se você teve a graça de receber o batismo e de pertencer à fé, não pense que essa graça é mérito seu. Ela é um dom de Deus. Reze, sacrifique-se, trabalhe, para que aqueles que não conhecem Jesus Cristo possam conhecê-lo, servi-lo, amá-lo por Jesus Cristo no Espírito Santo e irem ao Pai, que está no céu, para que você tenha um coração aberto às necessidades do mundo, para que você tenha um coração aberto àqueles irmãos que ainda não tiveram a graça e o privilégio de penetrar na verdade de Cristo.

Comentários