Em que consiste a missão dos apóstolos?
Sexta, 25 de Agosto de 2017

Meus amigos e minhas amigas! Louvado seja Jesus Cristo e louvado seja por Ele ter escolhido apóstolos para dirigirem a sua Igreja. Jesus os preparou. Jesus os santificou. E deu-lhes uma responsabilidade imensa, mas com a certeza de que o Espírito Santo estaria sempre dirigindo e santificando a Igreja.

E a pergunta do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é: em que consiste a missão dos apóstolos? E aqui é bom lembrar, antes de tudo, que a palavra apóstolo, do grego, significa enviado. É Jesus que envia os apóstolos. Jesus que os manda continuar a sua missão.

Ele mesmo, Jesus, é um enviado. Jesus é o apóstolo do Pai, que, por sua vez, envia aqueles que Ele chama. Aqueles que Ele escolhe. Aqueles que Ele prepara. Aqueles que Ele santifica. Jesus chamou a si os doze, entre os seus discípulos. Foi Ele que os constituiu apóstolos. Aquele grupo que tinha consciência de ter uma responsabilidade especial na Igreja. Não no sentido de serem melhores que os outros, mas de servirem mais. Como Jesus procurou incutir, convencê-los disso, eram chamados, eram enriquecidos com um dom e uma responsabilidade para servirem à Igreja. Mas Jesus fez dos apóstolos testemunhas da sua Ressurreição. Deixou-lhes claro que a sua missão consistiria em proclamar a Jesus, a quem eles se dispunham a servir. Que Jesus estava vivo e que eram testemunhas, porque eles tinham visto Jesus ressuscitado. Porque eles tinham ouvido Jesus ressuscitado falar. Porque eles tinham colocado suas mãos nas chagas de Jesus ressuscitado. Porque eles tinham comido algumas refeições com Jesus ressuscitado. E então eles podiam dizer: Vocês não veem Jesus ressuscitado, que está no meio de nós. Mas nós vimos e disto somos testemunhas.

A Igreja disse, certa vez, João Paulo II: “A Igreja vive desta presença de Cristo Ressuscitado”. A Igreja acredita nessa presença de Cristo ressuscitado. A Igreja comunica essa presença de Cristo ressuscitado. A Igreja vive desta presença de Cristo ressuscitado, a presença de Cristo entre nós, portanto, é um motivo de nossa esperança. A presença de Cristo entre nós é motivo de nossa alegria. E o Compêndio diz mais: Jesus deu aos apóstolos o mandato de continuarem a sua missão, como lemos em João 20, 21: “Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós”. Continuarem a missão de Jesus Cristo. Para continuarem esta missão, os apóstolos receberam uma força. Os apóstolos receberam uma luz. A força e a luz do Espírito Santo. Ele mesmo, Jesus prometeu, que estaria com eles, os apóstolos, até o fim do mundo. Que estaria com os apóstolos até o fim dos tempos. Então, a Igreja continuamente na sua liturgia relembra esta presença.

Quantas vezes você ouviu na Celebração Eucarística, por exemplo, aquela frase do celebrante: o Senhor esteja convosco, e você, junto com a comunidade, proclamou solenemente, convicto: Ele está no meio de nós.

Queremos cultivar esta certeza em nosso coração. Certeza baseada na palavra de Jesus, que estaria sempre conosco, até o fim do mundo. Para que esta verdade penetre mais em seu coração, ilumine e fortifique a sua vida.

Comentários