Abertura de Chacras (Parte IX)
Sexta, 13 de Dezembro de 2013

Eis que depois de uma boa caminhada chegamos ao final da nossa trilha de inspeção dos principais centros de energia do corpo humano. Hoje vamos falar do sétimo chacra, que é o centro energético relacionado ao pensamento, à mente superconsciente, ao nosso Eu Superior.

Esta sétima roda de energia localiza-se no topo da nossa cabeça e por esta razão é também conhecida como chacra da coroa ou chacra coronário.

O sétimo chacra funciona como um portal de entrada das energias superiores, de energia cósmica pura. É o chacra da espiritualidade, intimamente ligado à nossa glândula pineal. Quando harmonizado, apresenta uma luz branca com tons violeta e dourado, permitindo uma sintonia intensa com o nosso eu superior, com o infinito, a ponto de despertar em nós uma vontade espiritual associada à unidade, à sabedoria e à compreensão divina. É realmente um chacra muito especial, pois nos desperta o idealismo, o serviço voluntário, a percepção além do espaço e do tempo, a consciência da integração cósmica. 

Quando o chacra coronário encontra-se desarmonizado, bloqueado, sentimos a falta de inspiração, a depressão, a hesitação em servir e se doar, em fazer a sua parte para que o mundo fique melhor. Ficamos ranzinzas, teimosos, egoístas e mal-humorados. Nossa vida perde seu sentido visto que nossa visão global do universo fica ofuscada. Consequentemente, afastamo-nos de Deus.

O processo de abertura do sétimo chacra pressupõe a seguinte pergunta pessoal:

- Que ligações terrenas egoístas eu ando cultivando?

As respostas podem surgir mais facilmente quando meditamos de forma contínua e disciplinada. E daí em diante o desbloqueio passa a ser feito. Uma vez iniciado o processo de abertura, não haverá mais volta. Somos inseridos numa vivência de mais amor e compreensão da vida, passando a trilhar um caminho de crescimento que nos permite alcançar a serenidade espiritual da completa consciência universal. Fisiologicamente, nosso cérebro vai se revitalizando e até as dores de cabeça se vão embora. O resultado disso tudo é uma paz interior que revela a nossa virtuosa essência espiritual.

Realizar a abertura e alinhamento dos sete chacras é um desafio compensador. Está no destino de todos os seres humanos. Representa um processo de autoconhecimento e autocontrole indispensáveis para quem quer vivenciar a verdadeira felicidade. Namastê!

Comentários