Filomena, Sofia e Teodoro
Sexta, 03 de Janeiro de 2014

Conhecer a origem e o significado dos nomes é sempre algo muito instrutivo. Existe até uma parte da linguística associada ao estudo dos nomes próprios de todos os gêneros, das suas origens e dos processos de denominação no âmbito de uma ou mais línguas ou dialetos: é a onomástica, cujo próprio nome origina-se da expressão grega antiga ὀνομαστική, que significa “ato de nomear”, “dar nome”. Os gregos eram muito bons nesta área e acabaram influenciando boa parte do planeta com suas sistematizações práticas.

Para nós, ocidentais, aprender a língua grega pode ajudar em muito no entendimento de diversos conceitos e suas representações. Quem já não ouviu falar que Sofia quer dizer “Sabedoria”, que Teodoro (théos é “Deus”; dôron é “dom”) quer dizer “Dádiva de Deus” e que Filomena (philoúmai é “ser amado”) significa “Aquela que é amada”? Pois então, estes mesmos nomes próprios são compostos de termos gregos que formam também diversas outras palavras de caráter bastante curioso. Ao combinarmos as expressões “Filo” (amigo), “Sofia” (sabedoria) e “Teo” (Deus), acompanhado da expressão “Logos” (razão, palavra, verbo, lógica, ciência), obtemos termos peculiarmente estudados em nossa academia filosófica:

Filosofia (Φιλοσοφία, “amigo da sabedoria” ou “amor ao saber”): área do conhecimento relacionada ao estudo de problemas fundamentais relacionados à existência, à verdade, aos valores morais, éticos e estéticos, à mente e à linguagem.

Filologia (Φιλολογία, “amigo da palavra, do verbo” ou “amor às letras, à instrução”): área do conhecimento que envolve o estudo da linguagem em fontes históricas escritas, ou seja, uma ciência que combina estudos literários, história e linguística.

Logosofia (λόγοςσοφία, “sabedoria da palavra, do verbo” ou então “ciência da razão”): escola desenvolvida pelo humanista Carlos Bernardo González Pecotche que visa proporcionar o autoconhecimento e autoaperfeiçoamento dentro de um processo de evolução consciente, utilizando-se de ferramentas de ordem conceitual e prática.

Teologia (θεóςλóγος, “estudo da Divindade”): estudo racional e sistemático acerca da divindade, buscando-se o entendimento de sua essência, existência e atributos.

Teosofia (θεóςσοφία, “sabedoria divina” ou “conhecimento divino”): área do conhecimento que sintetiza Filosofia, Religião e Ciência. Constitui-se na sabedoria universal e presente nas grandes religiões, filosofias e nas principais ciências da humanidade, e pode ser encontrada na raiz ou origem, em maior ou menor grau, dos diversos sistemas de crenças ao longo da história.

Pois bem! Estes são alguns dos exemplos em que podemos identificar na própria palavra ou expressão o seu significado original através de uma análise básica dos termos que a compõe. Fiquem bem e até semana que vem!

Comentários