Oportunidade de ser um mestre
Sexta, 04 de Março de 2016

Muito bem! A quem recorremos na hora da morte? A Deus... A quem recorremos na hora do desespero? A Deus... A quem recorremos sempre que nos defrontamos com os perigos mais cruéis e fatais que nos afrontam? A Deus...

Nos momentos mais fatídicos de nossas vidas, nossa intuição e nossos instintos se voltam totalmente para as instâncias superiores. Isso é uma reação natural, independente da crença ou dos valores que cada um possua. Dependendo da intensidade do stress, não conseguimos nem mesmo raciocinar! Nossos pensamentos não se conectam e podem até mesmo atuar contra nós, pois em momentos de extrema tensão o próprio corpo assume uma postura de bloqueio da racionalidade, tamanha é a carga emocional e o fluxo energético liberado... Por isso a desestabilização...

Agora pensemos essas situações em pequena escala. A quem uma criança recorre nos momentos de dor? Aos pais... A quem uma criança recorre quando está com medo ou em desespero? Aos pais... A quem os pequeninos buscam socorro quando uma ameaça os afronta a ponto de não saberem mais o que fazer? Aos pais...

Percebamos a condição, a oportunidade e a responsabilidade a que estão sujeitos todos aqueles que atuam como pais neste sistema evolucionário humano. Longe que querer igualar um pai ao Mestre dos mestres, mas é preciso parar e se pensar a respeito dessa interessante analogia.

Ser pai ou ser mãe significa, antes de tudo, receber uma grande dádiva de Deus. Uma grande oportunidade para exercitar a maestria principalmente junto aos pequeninos que tanto dependem de seus progenitores. Não pensem que esta é uma tarefa fácil! É tão difícil e desafiadora que muitos não a cumprem como deveria ser... Há pais, inclusive, que buscam a maestria em escolas, empresas e instituições sem saber que em casa, junto à família, junto às suas crianças, é que se encontra o melhor ambiente para se tornarem mestres.

Os pais, assim como os mestres, têm o poder e o dever de “conduzir” seus pupilos pelo tempo que for necessário, mas sempre com o intuito de libertá-los para que futuramente eles andem com suas próprias pernas. No final, com o passar dos anos, cada um deverá tornar-se mestre de si mesmo, para enfrentar as situações difíceis da vida com autonomia.
Os pais devem, principalmente, trabalhar muito o próprio equilíbrio físico, emocional e mental, pois em muitos momentos seus filhos os buscarão como seus únicos heróis salvadores, os mestres a quem recorrer...

Força papais! Força mamães! Com a benção de Deus!

Comentários