Oração e Meditação
Sexta, 14 de Fevereiro de 2014

Assim como o machado de dois gumes corta para os dois lados, o homem deve lapidar a sua evolução, trabalhando no sentido de seu interior como de seu exterior.

A interiorização sempre esteve ligada com a essência, a teoria, enquanto que a exteriorização busca a plasmação em forma de reflexo, de prática.

Seguindo pela observação através do espectro da dualidade, verificamos que o próprio mundo, em algum momento, foi seccionado em duas partes nominadas oriente e ocidente, além de outras formas que poderíamos correlacionar. Nesta divisão, ficou evidente a influência do caráter cultural e religioso de cada parte. No oriente, a meditação sempre teve preponderância como se fosse o movimento do machado para um lado onde mais se quisesse cortar. Já no ocidente, a oração é que se firmou até mesmo como complementação e compensação para que o outro gume do machado também se desgastasse em seu trabalho evolucionário.

A oração, mais praticada no ocidente, representa um caminho exterior, um ato de ligação, de conversa, de pedido, de agradecimento ou ainda de louvor diante de um ser transcendente ou divino. Orar (ou rezar) nos remete ao mundo exterior, para além de nossa individualidade.

A meditação, muito mais comum no oriente, está associada à busca interior, exatamente ao centro de nossa essência. A própria palavra meditação carrega em seu nome o seu significado. Do latim, “meditare” significa voltar-se para o meio, para o centro, no sentido de se desligar do mundo exterior e voltar a atenção para dentro de si.

Ao ritmo do pêndulo do tempo, o machado de dois gumes tem trabalhado pela evolução cultural, científica e religiosa do mundo. Quando no ocidente as coisas desandam, o oriente segura as pontas. Quando no oriente as coisas vão mal, o ocidente se encarrega de suportar os reveses da própria história, moldada pelos ciclos evolutivos.

Ao homem que almeja estar à frente de seu tempo cabe perceber a importância e complementaridade que possuem a oração e a meditação. Ambas, em ritmo harmonizado com o compasso do machado de dois gumes, permitem ao ser humano moldar a si mesmo e tornar-se um instrumento de realização do ideal de felicidade projetado para a humanidade.

Nesta próxima terça, dia 18 de fevereiro, às 20 horas, a Associação Cultural Atena proporcionará à comunidade mais uma sessão de prática da meditação. Os interessados podem reservar uma vaga através do email atenafw@gmail.com ou pelo telefone (55) 9995-3883. Namastê.

Comentários