Expofred 2014
Sexta, 02 de Maio de 2014

Nestes dias a cidade passa a respirar a Expofred. Mas o que isso significa?

Voltemos ao passado mais remoto que se possa imaginar. Um dia o homem percebeu que devia produzir mais alimentos do que os necessários para a sua alimentação pessoal e diária. Sabia que num inverno com neve era difícil produzir alimentos e assim a saída era produzir o dobro destes durante as épocas favoráveis, em outras estações. Desta forma, estocando comida em grande quantidade, não passaria fome em nenhum dia do ano.

No momento em que ele desenvolveu técnicas de estocagem e conservação dos alimentos, viu que até poderia sobrar comida para mais de um ano. Surgia a ideia do excedente de produção. Neste período, sem data definida, iniciou-se uma importante era revolucionária da humanidade - a revolução agropecuária - que mudou definitivamente os costumes dos povos. Produzia-se não somente com a intenção de satisfazer o consumo próprio, mas com a intenção de gerar uma produção excedente que poderia ser comercializada com as demais famílias, povos ou nações. Ninguém mais passaria fome em nenhum dia do ano.

Passados muitos anos, após o período histórico das grandes navegações e do processo de colonização das Américas, o mundo acabou passando por outra era revolucionária conhecida como Revolução Industrial. As principais transformações ocorreram na estrutura econômico-social, com o início de concentração de trabalhadores em torno das fábricas, aglomerando pessoas dentro das cidades, a maioria delas advindas do meio rural. A cadeia de bens de consumo se expandiu largamente para além de exclusivamente alimentos e vestimentas. A Revolução Industrial gerou na população mundial uma necessidade de compra de maquinários, automóveis, geladeiras, televisões e por aí vai. Uma nova dinâmica de consumo se estabeleceu entre as famílias, povos e nações.

Por fim, na segunda metade do século 20, após o findar da 2º Guerra Mundial, uma terceira era revolucionária se iniciou. Desta vez, o bem de consumo era a “informação”. Imaginem só: a fome e a necessidade humana passaram a ser virtuais! Notícias, imagens, comunicação, interatividade, conectividade social, tudo isto passou a ser sonho de consumo nesta nova era. Saber o que está acontecendo no mundo, saber da vida dos amigos, dos famosos, compartilhar emoções, fotos, vídeos, opiniões e pensamentos, acompanhar os resultados das pesquisas, dos jogos, das cartadas políticas, tudo isso é o quente do momento.

Exposições e feiras como a Expofred representam, na atualidade, estações de desembarque destas eras revolucionárias históricas. Respirar a Expofred significa, para a nossa cidade, vivenciar as evoluções da humanidade que se iniciaram lá na antiguidade e que tanto mudaram o nosso estilo de vida. Aproveitemos esta oportunidade! Uma boa Feira a todos!

 

Comentários