Infecções Intestinais
Sexta, 12 de Dezembro de 2014

A infecção intestinal é a causa mais comum de diarreia aguda no mundo e está relacionada a condições ambientais, sanitárias de higiene, da água, de pobreza e de baixo nível educacional.  A diarreia aguda de origem infecciosa constitui a maior causa de morbidade e de mortalidade no mundo, em especial, nos países em desenvolvimento. Seu impacto é maior nas crianças com idade abaixo dos cinco anos.

Países como Índia, Bangladesh e Guatemala apresentam uma mortalidade de 5% em crianças no segundo semestre da vida. Na América Latina sua incidência tem diminuído com a introdução da hidratação oral promovida pela Pastoral da Saúde.

É também uma causa importante de doenças nos países desenvolvidos. Estatísticas mostram que nos Estados Unidos ocorrem 200 milhões de crises de diarreia infecciosa com 900 mil internações e cerca de seis mortes anuais.

Nosso intestino é povoado por uma microflora composta de bactérias que ali vivem em regime de parceria com o organismo. Elas não fazem mal ao organismo e combatem bactérias invasoras através da produção de substâncias antibacterianas. O ácido do estômago e a bile também exercem efeito protetor.

A destruição da microflora através de antibióticos ou a ingestão de bactérias patogênicas causam desequilíbrio e estimulam a diarreia. Pela diarreia o indivíduo perde água e sais importantes ao organismo levando-o à desidratação e à perda de forças que, se não tratadas, podem levar o indivíduo à morte.

As principais causas de infecção intestinal são bactérias e vírus. Eventualmente protozoários e fungos podem também serem agentes causais.

Contágio:

Como estas bactérias são eliminadas pelas fezes o contágio se faz pela ingestão de alimentos ou água, contaminados pelos micro-organismos fecais. Ambientes de pouca higiene, ou de aglomeração de pessoas são especialmente próprios para a disseminação da doença. As mãos das pessoas e em especial de crianças que vivem em creches são fatores importantes de disseminação. Entre os alimentos temos os produtos lácteos não pasteurizados, embutidos feitos artesanalmente com falta de higiene adequada, carnes mal cozidas, frutas com casca e não lavadas bem como vegetais produzidos organicamente sem uma adequada lavagem dos mesmos. Na produção orgânica usam-se estercos animais que são ricos em enterobactérias. A curtição dos mesmos reduz essas bactérias mas não as eliminam.

Nos países em desenvolvimento os agentes causais dessas doenças são as bactérias, enquanto que nos locais onde há adequadas condições sanitárias, os agentes mais envolvidos são os vírus. No nosso meio, onde coexistem pessoas que vivem em condições sanitárias adequadas mas também há bolsões de pobreza e de promiscuidade vemos ocorrer tanto infecções por vírus como  por bactérias.

Infecções Virais:

As infecções virais costumam ser menos violentas e tem curta duração. Entre os vírus causadores de enterites temos o rotavírus que ataca principalmente crianças até 2 anos de idade, sendo muito raros a partir dessa faixa etária. Embora existam alguns tipos de rotavirus o mais frequente é o tipo A, e, calcula-se que todas as pessoas após cinco anos já estiveram contaminadas por ele e, portanto, tem imunidade. Em 2006 foi criada uma vacina para esse vírus. A partir de 2009 a Organização Mundial da Saúde recomenda a vacinação regular para o rotavirus. 

Embora existam outros vírus como o adenovírus, o calcivírus, o astrovírus e  o parvovírus em adultos, frequentemente a diarreia viral é causada pelo noravírus. Este vírus é extremamente resistente e permanece por grande tempo no ambiente contaminado. É a principal causa de diarreia infecciosa em países desenvolvidos. Frequentemente vemos notícias dele pois é a principal causa de infecções intestinais em cruzeiros marítimos ou em ambientes com grandes aglomerações, como convenções, acampamentos e outros. (continua)

Comentários