Probióticos (parte 2)
Sexta, 06 de Março de 2015

Com as evidências mostrando que esses bacilos podem beneficiar o metabolismo humano, iniciou-se a produção de probióticos e os simbióticos que continham microorganismos em quantidade suficiente para um efeito terapêutico. Outras cepas foram acrescentadas na produção dos fermentados como bifidobacterium, clostridiuns comprovadamente protetores do intestino e de todo o organismo.

Com estas evidências, indústrias, órgãos governamentais, universidades e pesquisadores passaram a perseguir um produto que fosse benéfico ao organismo humano mas, que também pudesse ser produzido em escala industrial com o objetivo de torná-lo acessível à população.

Yougurtes, leite fermentado, sorvetes, queijos, sucos, derivados da soja, suplementos em cápsulas, saches ou produtos liofilizados têm sido produzidos e colocados à disposição dos usuários em franca progressão no mercado.

Os órgãos de vigilância descobriram, no entanto, bactérias probióticas que tinham plasmídios que conferiam resistência a antibióticos e que as transmitiam às bactérias normais, principalmente em hospitais, asilos e cresches. Entende-se que somente o probiótico será completamente seguro com novas descobertas, principalmente de novas cepas bacterianas, muitas delas desenvolvidas por transgenia saudável.

Do ponto de vista de efeitos colaterais, os probióticos são isentos quando usados em doses normais. Seu uso em quantidades exageradas podem causar distensão abdominal, flatulência e diarreia. Poucos efeitos indesejáveis têm sido relatados pelos médicos que os indicam.

Hoje as pessoas estão vivendo mais e a procura de uma melhor qualidade de vida é importante para o organismo. Uma microbiota intestinal saudável e equilibrada resulta num melhor desempenho das funções fisiológicas do hospedeiro. O uso regular de probióticos ou simbióticos ajuda equilibrar o organismo, melhorar sua imunidade bem como regular suas funções digestivas. Lembre-se:

1. Probióticos e simbióticos são úteis para a manutenção da saúde humana.

2. Seu uso deve ser preferencialmente indicado por médico ou nutricionista.

3. Observe regularmente o prazo de validade. Mantenha-o na geladeira.

4. Uma vez aberto deve ser consumido no mesmo dia.

Comentários