Realizando sonhos
Sexta, 15 de Novembro de 2013
Com o chegar da segunda etapa de nossa vida, a aposentadoria, chega também a oportunidade de realizarmos sonhos que estavam impossibilitados de serem realizados devido a nossa ocupação, responsabilidade com a família e exigências do dia a dia.
Nosso futuro será o que preparamos para ele. Pode ser interessante e gratificante ou pode ser tedioso e depressivo. A escolha está em nossas mãos.
Há um ditado que diz que a “velhice é sábia”. E é mesmo, porque com a idade passamos a escolher objetivos de médio e não somente os de curto prazo. Passamos a nos preocupar mais com a comunidade do que com nós mesmos; valorizamos menos os bens materiais e mais nossos valores internos. Com este pensamento, criamos a condição de sermos felizes.
Com esta sabedoria temos oportunidade de realizar nossos sonhos. Para tal, procure fazer uma lista do que desejaria de realizar após a aposentadoria. Divida os objetivos em tarefas de lazer, de servir e de se realizar. Lembre-se que manter apenas objetivos de lazer não o farão feliz, pois em pouco tempo o lazer cansa e traz um vazio em nossas vidas, favorecendo a depressão. O planejamento do lazer deve ser por tempo limitado ou dividido com outros objetivos. Inicie antes da aposentadoria um planejamento a executar quando deixar o emprego.
Divida seus planejamentos em lazer, hobbies, crescimento pessoal e trabalho voluntário, assunto tratado em crônica anterior.
Viajar, passar tempos em praias, rios, montanhas ou ainda viagens culturais são muito úteis. Planeje de tal maneira que não crie dívidas com as viagens que lhe darão 20 dias de alegrias e um ano de preocupação. O ideal sempre é que o lazer seja pago antecipadamente, ou em poucas prestações que não alterem o seu orçamento familiar. Filie-se a grupos como corais, grupos de terceira idade ou outros para que, tendo objetivos comuns, ocupe o tempo prazerosamente e diminua os custos das viagens.
Interesses pessoais ou hobbies são uma ótima forma de passar o tempo e crescer.
Marcenaria, mecânica, pinturas, músicas podem ser ótimas saídas para ocupação do tempo. Inicie sempre com pouco investimento, pois se desistir do mesmo não haverá grande prejuízo financeiro. Arrisque-se mais, faça cursos secundários ou universitários que elevarão sua autoestima.
A convivência com jovens faz a pessoa rejuvenescer. No curso, inicie com algumas matérias evitando a frustração de não conseguir acompanhar o curso pleno. Tenha autocrítica. Se esta atividade lhe trouxer mais preocupação do que ocupação e alegrias, abandone-a sem constrangimento, afinal não necessita prestar contas a ninguém a não ser a si mesmo.
Se assim mesmo não sentir que seu tempo esteja preenchido, não tenha pudor e procure trabalhar em meio expediente, ou ainda, abrir um próprio negócio. Um cliente meu, militar aposentado, após algum tempo iniciou, devido à ociosidade, beber em demasia. Aconselhei-o que achasse algo a fazer. Como era ótimo cozinheiro, passou a fazer comida congelada, deixou a bebida, cresceu, empregou pessoas e hoje está completamente realizado e muito bem financeiramente.
Resumindo: ocupe-se mas não preocupe-se, pois a preocupação é o adubo para doenças.
Comentários