MEDICINA PREVENTIVA (VACINAÇÃO)
Quinta, 02 de Abril de 2015

TÉTANO E DIFTERIA:

O tétano é uma doença que surge em ferimentos contaminados por terra, sujeira ou ainda detritos de fezes animais. No Brasil a vacina contra o tétano é usualmente aplicada na infância e todos os adultos, principalmente os que trabalham em contato com terra ou em locais insalubres. Quem nunca fez a vacina deve fazer três doses da mesma e depois uma vez a cada dez anos.

No programa de vacinação pública no Brasil a vacina antitetânica é disponibilizada juntamente com a da difteria e a da coqueluche. Devem ser aplicadas aos 2, 4, 6 e 18 meses de idade, reforçada aos 6 e 10 anos e depois cada dez anos durante a vida. Pode também ser aplicada como reforço quando a pessoa sofre ferimento contaminado com terra ou outras sujeiras. 

Há no mercado uma vacina polivalente que contempla o tétano, a difteria, a coqueluche, a poliomielite e a influenza. Esta é indicada para crianças. No adulto como reforço o ideal é a vacina bivalente que previne o tétano e a difteria.

MENINGITE: 

A meningite é uma doença muito grave que atinge principalmente crianças e pessoas de mais de 55 anos. Suas sequelas são incapacitantes tais como surdez, cegueira, convulsões, retardo mental e outras. Sua contaminação se faz principalmente em ambientes onde se concentram pessoas como dormitórios colegiais, militares ou ainda pensões com mais de um leito em cada quarto. Mais frequente em países pobres. 

A vacinação está recomendada em crianças que vão para internatos, concentrações esportivas ou ainda viajantes que visitam regularmente ambientes com relatos da doença. Até há alguns anos a vacina deveria ser repetida. Hoje há uma nova vacina de duração permanente ou seja, necessita uma só dose.

PNEUMONIA: 

A pneumonia é a maior causa de morte prevenível em pessoas de mais de 60 anos nas regiões desenvolvidas. A causa da doença é uma bactéria que pode existir em nossas narinas e, que, quando cai a imunidade da pessoa determina pneumonia, sinusite, amigdalite e até meningite. Em pacientes de mais de 60 anos que permanecem em hospitais ou que vivem em abrigos é importante causa de morte.

As vacinas contra pneumonia são seguras e muito duradouras. Feitas em pessoas com menos de 60 anos deve ser repetida a cada cinco anos. Quando feita em maiores de 65 anos uma dose é suficiente. Recomendadas em todas as idades, é especialmente indicada para pessoas que tenham deficiência de sua imunidade.

Comentários