Síndrome Metabólica
Sexta, 29 de Maio de 2015

Eu tenho Síndrome metabólica, e agora?

Pelo fato de a Síndrome Metabólica estar associada a maior número de eventos cardiovasculares, é importante o tratamento de cada um dos componentes da Síndrome, sendo o mais importante a obesidade.
Muitas vezes, não ocorre nenhum sintoma, as pessoas estão um pouco acima do peso, não se consideram doentes e vão fazer exames de rotina, detectando esses fatores de risco e diagnosticando a síndrome metabólica.
O principal fator de risco é a obesidade. Por isso, tanto para a prevenção da síndrome, quanto para o seu tratamento é fundamental que seja adotado um estilo de vida saudável.
Modificações do estilo de vida como: realizar atividades físicas regulares (pelo menos 150 minutos por semana), ter uma alimentação saudável (ingesta de frutas, verduras, legumes, carnes magras, pouca gordura de origem animal, pouco sal e açúcar, poucos alimentos industrializados, bebidas alcoólicas em pequena quantidade são importantes para o controle do peso corporal, principalmente da gordura abdominal. Outro fator relevante é abandonar o hábito do tabagismo, que em associação com esses fatores de risco, eleva muito a chance de doenças cardiovasculares. Em alguns casos, quando apenas as medidas comportamentais não forem suficientes, o uso de medicação se faz fundamental.
Devido ao crescente e assustador avanço da obesidade a nível mundial, em especial nos países em desenvolvimento como o Brasil, onde 50% da população está acima do peso ideal, devemos ter especial atenção na prevenção e tratamento dessa síndrome, com o intuito de evitarmos perdas precoces de vidas em razão de hábitos equivocados.
Além disso, a procura de atendimento médico no intuito de prevenir as doenças muitas vezes evita que elas sejam diagnosticadas em fases mais avançadas.

Dr. Iran é médico Nutrólogo e Gastroenterologista. Cremers 27315.

Comentários