Gases intestinais e Fodmaps
Sexta, 05 de Junho de 2015

Arrotos, flatulência, distensão abdominal, gases, ou dor abdominal são frequentemente atribuídas pelos pacientes a excesso de gases intestinais.
Essa sensação desagradável na maioria das vezes não é comprovada por exames de raio x, que haja de fato ar em excesso no intestino, mas simplesmente é uma sensação de que isto ocorra. Pessoas sensíveis, deprimidas, imunodeprimidas são as mais acometidas dos sintomas.
Outras vezes há excesso de gases comprovados pelo exame. Quando presente, esse excesso é devido à excessiva deglutição de ar em pessoas ansiosas, a bebidas gasosas, ou ainda a alimentos que são mal digeridos no intestino gerando esses sintomas. Estudos recentes têm demonstrado que o grupo de alimentos que mais determinam o problema são classificados como os Fodmaps.
Fermentable Oligo-Di-Monosaccharides and Polióis (Fodmaps) são carboidratos de cadeia curta de difícil absorção que, pelo seu poder osmótico, aumentam o volume do líquido na luz intestinal e por serem fermentados pelas bactérias intestinais produzem gases. Estudos recentes têm demonstrado que são os vilões para o desencadeamento da síndrome do intestino irritável excesso de gases e outros distúrbios intestinais. Descrita pela primeira vez pelos australianos Gibson e Shepherd em 2005, esta dieta tem ganhado muito implemento pela melhora que determina em seus usuários.
Quais alimentos constituem os Fodmaps?
1. Oligossacarídios: são hidratos de carbono que contém até dez átomos. São os frutanos que existem no trigo, cevada, cebola, alho, brócolis, beterrabas e melancia entre outros e os galactanos que existem no feijão, ervilhas, lentilhas e soja. Como são de absorção difícil ficam na luz intestinal fermentando e formando gases.
2. Dissacarídios (sacarose e lactose): a sacarose, açúcar comum é facilmente quebrado em glicose e frutos que é absorvido facilmente. A lactose é quebrada pela lactase em glicose e galactose. As pessoas adultas principalmente de origem latina, africana e asiática costumam ter deficiência de lactase gerando a presença desse açúcar no intestino com grande fermentação, formação de gases e muitas vezes diarreia. Os adultos normais não devem ingerir mais do que um copo de leite por dia e as pessoas que têm problemas intestinais devem consumir ainda menos.
3. Monossacarídeos (glicose, galactose e frutose): são absorvidos facilmente exceto a frutose que necessita da presença da glicose para ser absorvida. Quando em excesso é absorvida com dificuldade, por isto recomenda-se usar com limitações o mel, sucos de laranja, de maçã, de pera e de melancia.
4. Polióis (sorbitol, manitol, xilitol): são adoçantes artificiais que existem nos alimentos "diet e light", mas também em algumas frutas como a pera, pêssego, abacate, maçã e mangas. Não absorvidos transformam-se em laxantes com grande formação de gases.
Esta nova concepção de dieta tem trazido muitas mudanças no estudo das doenças intestinais. Como são estudos recentes, embora, com bons resultados, ainda necessita tempo e pesquisas para uma conclusão definitiva. Muitos trabalhos têm sido publicados, inclusive livros como um livro americano "Barriga de Trigo" com grande aceitação. Para orientar os interessados, passo a descrever alguns alimentos com baixa concentração de Fodmaps, e, portanto recomendáveis.

• FRUTAS: banana, melão, uva, kiwi, limão, lima, bergamota, laranja, grapefruit, moranguinho, pitanga, cereja, maracujá e outras frutas sem caroço.
• VEGETAIS: alcachofra, alface, chicória, feijão de vagem, batata, abóbora, moranga, espinafre, tomate, cenoura e outros.
• GRÃOS: grãos livres de glúten como milho, arroz, farinhas sem glúten, quinoa, sorgo e tapioca. Aveia pode ser ingerida em pequenas quantidades.
• ADOÇANTES: açúcar, glicose, adoçantes artificiais cujo nome não termine com ol.
• CARNES: Carnes naturais, de gado, aves, porco e peixe. Evitar carnes em conservas ou embutidos que tenham trigo ou conservantes prejudiciais à saúde.
• LACTICÍNIOS: Leite sem lactose, de soja ou de arroz, yougurte sem lactose, queijos duros e envelhecidos como parmesão, provolone, brie, gorgonzola, cheddar e outros.

As pessoas que sofrem dos problemas de gases podem por si só iniciar uma dieta conforme a acima descrita. Em 30 dias se o problema for resolvido devem continuar com os alimentos escolhidos podendo progressivamente introduzir alguns dos desaconselhados. Por exemplo: quem suspendeu o leite poderá progressivamente introduzir esse alimento que, se determinar piora, deve ser suspenso em definitivo. Poderá ainda, usar pequenas doses de simeticona.

Preste bem atenção:
• Se, em um mês não melhoraram os sintomas, é obrigatória a procura do médico, que também deverá ser consultado em caso de pessoas com mais de 50 anos que apresentam o problema pela primeira vez ou que tenham febre, emagrecimento rápido e surgimento de bola no abdome.

Comentários