Exames complementares (Parte 1)
Sexta, 26 de Junho de 2015

A realização de exames complementares entende-se todo o exame que se faz para que o médico complemente seu raciocínio clínico, confirmando ou afastando o diagnóstico obtido durante a consulta médica que é feita pela entrevista com o paciente, análise de seus antecedentes pessoais e familiares bem como o exame físico, que se obtém com uma boa técnica médica.

Basicamente dividem-se em exames de laboratório, exame de imagem e exames invasivos como as várias endoscopias que podem ou não serem seguidas de biópsia.

Nenhum médico deve basear seu tratamento apenas no exame obtido, pois existem muitas alterações que se encontram nos exames e que não necessitam tratamento por não apresentarem dano ao indivíduo. Há milhares de exames, alguns muito usados, outros são requeridos raramente e alguns apenas em pesquisas médicas.  Abordaremos os mais solicitados como acompanhamento e diagnóstico. 

HEMOGRAMA:

O hemograma é um exame que mostra as três principais células existentes no sangue:

1. Glóbulos vermelhos (eritrócitos), que carregam o oxigênio para as células.

2. Glóbulos brancos, em número de 5, são células que combatem infecções.

3. Plaquetas, que são partículas de células encarregadas de promover a coagulação do sangue.

O hemograma é um exame feito regularmente, uma vez que nos traz informações valiosas como:

Qual o percentual do espaço que as células ocupam em nosso sangue.

Qual a quantidade de hemoglobina, proteína existente nos glóbulos vermelhos, que dá a cor ao sangue e é encarregada de transportar o oxigênio do pulmão às células e o gás carbônico das células para o pulmão onde será eliminado.

Informações sobre o tamanho e a forma dos glóbulos vermelhos. Há doença como a anemia falciforme em que as células ao invés de serem redondas são em forma de foice.

Número e percentual dos glóbulos brancos e plaquetas.

Comentários