EXAMES COMPLEMENTARES (4ª parte)
Sexta, 17 de Julho de 2015

LIPÍDIOS (GORDURAS):
Para a formação das células do corpo são necessários lipídios. Destes, o colesterol é o mais importante, pois crianças desnutrida que não o ingerem podem desenvolver atrofia cerebral. O colesterol que é metabolizado no fígado e transportado ao sangue cumpre esta função. Pode, no entanto, ser prejudicial quando os níveis estão muito elevados. O colesterol elevado pode causar uma doença grave, a arteriosclerose, determinando a obstrução de artérias, com infartos cardíacos e acidentes cerebrais, que se constituem na maior causa de morte no Brasil. Assim sendo, é necessário dosar periodicamente o colesterol sanguíneo, principalmente nas pessoas que têm história familiar de arteriosclerose, mormente nas pessoas cinquentenárias.
COLESTEROL:
A dosagem de colesterol feita no laboratório prevê a retirada de pequena porção de sangue na qual se dosa o Colesterol total, o LDL, o HDL e o VLDL.
1.Colesterol total: É a dosagem do colesterol existente no sangue do indivíduo. A dosagem ideal é de abaixo de 150mg/dl; considera-se bom até 200mg/dl, sendo que um nível acima deve ser obrigatoriamente tratado.
2. O Colesterol LDL (lipoproteína de baixa densidade): É chamado de colesterol ruim, pois ele se deposita nas artérias causando progressivamente obstrução das mesmas. Considera-se ideal dosagens abaixo de 100mg/dl, aceitável abaixo de 130mg/dl. Em pessoas que já tiveram ataques cardíacos ou cerebrais o ideal é abaixo de 70mg/dl.
3. O Colesterol HDL (lipoproteína de alta densidade): É o colesterol bom, pois retira o colesterol do sangue e leva ao fígado para ser metabolizado. Quanto mais alto estiver melhor é para a saúde do portador. Aceita-se a como boa dosagem de 40 mg/dl e considera-se ótima acima de 60 mg/dl.
PROTEÍNA C REATIVA (PCR):
É uma substância existente no sangue e que costuma estar alterada em diversas doenças do organismo, como inflamação, infecção, reumatismos, doenças arteriovenosas, cânceres e outras. Sua medida é feita com a finalidade de afastar doenças ou de fazer o acompanhamento de sua evolução. Sendo produzida no fígado, ela é importante pois ativa os fagócitos na luta do organismo contra infecção.
Sua dosagem é feita em mg/dl e hoje substitui outro exame utilizado para o mesmo objetivo que é a hemossedimentação. É aceito até 6m/dl como normal.
Uma proteína C reativa de 0 é fator indicativo de ausência de doenças inflamatórias no organismo. Mais recentemente os cardiologistas têm usado a alteração da proteína C reativa como fator preditivo de infarto em pessoas com história prévia de doenças coronarianas.

Comentários