Orientação alimentar (parte 1)
Sexta, 18 de Março de 2016

O velho ditado diz que o "peixe morre pela boca". A voracidade do peixe torna-o presa fácil para o pescador. O ditado aplica-se para o ser humano, cuja gula leva as pessoas a doenças diversas por comer muito ou comer mal. O sal, tão abundante em nossa dieta, é o principal responsável pelas doenças cardíacas, derrames cerebrais e hipertensão arterial; o açúcar, tão consumido em nossos dias, é responsável pelo surgimento do diabete e da obesidade; a gordura causa arteriosclerose, fígado gorduroso e outras doenças, enquanto o álcool é o principal causador da cirrose hepática, doença incurável cuja única esperança reside no transplante hepático.

Não temos influência sobre nossos genes, pois os mesmos são herdados. Nós podemos agir sobre os fatores ambientais pelo modo que os encaramos. Está provado pela epigenética que fatores ambientais influenciam nossos genes, sendo a alimentação a que mais interfere sobre os mesmos. Portanto, se quisermos viver mais e melhor, temos de nos alimentar bem.

Alimentar-se bem não significa alimentar-se muito, mas sim aliar excelente paladar com excelente nutrição. Há muitas propostas alimentares de renomados e bons nutricionistas. Como opção, vamos adotar o método da Pirâmide Alimentar da Clínica Mayo, dos Estados Unidos. A pirâmide abaixo está calculada para uma necessidade diária de 1.200 calorias, considerada dieta especial para emagrecer.

A necessidade diária de uma pessoa de vida sedentária varia de 1.700 a 2.000 calorias, sendo que a necessidade aumenta à medida que se realiza maior esforço físico e reduz com o avanço da idade. Ao lado da pirâmide acima está uma imagem que mostra a importância do exercício físico para a saúde e o controle do peso.

Nessa pirâmide, ocupam os andares mais altos os alimentos que produzem grande quantidade de calorias. Devem ser usados com muita moderação. Nos andares de baixo temos vegetais e frutas, que podem e devem ser ingeridos em maior quantidade, pois apresentam menor valor calórico e maior valor nutricional.

Comentários