Vitaminas e sais minerais: (parte 7)
Sexta, 27 de Maio de 2016

Magnésio: O magnésio é um mineral necessário nos processos enzimáticos, ajudando o funcionamento dos músculos e dos nervos. Tem função importante na retirada de substâncias tóxicas do organismo. Frutas, oleaginosas, legumes, grãos e vegetais verde escuros são as fontes alimentares. Muitos antiácidos e laxantes contém magnésio em sua fórmula. Níveis baixos de magnésio podem elevar a pressão arterial, causar doenças cardíacas, favorecer a osteoporose e agravar o diabete. Pessoas que tomam muito diuréticos ou tem diarreia podem ter deficiência de magnésio. Se tiver arritmia cardíaca, insuficiência renal, hemorragia gástrica, alteração da função intestinal, não tome suplemento de magnésio, a não ser por recomendação médica, pois o mesmo pode agravar essas situações. Ingerido com alimentos, o magnésio causa menos problemas de estômago.

Potássio: O potássio é um eletrólito existente em frutas cítricas e banana, batata com casca, tomates, espinafres e leguminosas. A necessidade diária é de 4,7 gramas. O potássio tem diversas funções no organismo, sendo necessário para as funções celulares, principalmente do coração. Nas artérias, diminui a sensibilidade de estresse das mesmas, controlando a pressão arterial e diminuindo a chance de ataques cardíacos e hipertensivos. Pacientes com diabete descompensados, submetidos à quimioterapia, que fazem uso de medicamentos para o coração e para a pressão podem apresentar aumento do potássio no sangue e fraqueza muscular intensa. Pessoas com déficit de potássio podem ter contraturas musculares e intensas câimbras. No geral, somente a alimentação e o uso de complementos vitamínicos não causam elevação do potássio no sangue. Pessoas em uso de diuréticos e outras drogas para pressão e coração podem tem deficiência de potássio. Como o excesso de potássio é prejudicial, não tome suplementos ricos em potássio a não ser por orientação médica.

Selênio: O selênio é um mineral chamado oligoelemento (mineral que necessita quantias mínimas no organismo da pessoa), com importante efeito antioxidante e neutralizante dos radicais livres, reduzindo o envelhecimento. Também tem importante função reguladora da tireoide. Suas fontes alimentares são os peixes, as vísceras, as carnes e produtos integrais. Na grande maioria das pessoas não há deficiência e nem acúmulo no organismo. Locais em que a ingesta desses alimentos citados são deficientes podem redundar numa doença chamada doença de Keshan, que era frequente na China comunista onde pessoas ingeriam poucas proteínas. Estudos em andamento apontam que o uso de selênio associado à vitamina E previne o câncer de próstata. Seu excesso tem efeitos severos nas unhas, nos dentes, na pele e nos cabelos, tornando-os frágeis e quebradiços.

Zinco: O zinco é outro oligoelemento bem como o cobre, o molibdênio, o flúor, o iodo e o manganês. Suas funções se fazem nos órgãos do sentido, como o olfato e o paladar. Tem importante função na cura das feridas, no crescimento e no desenvolvimento dos órgãos sexuais. A deficiência no adulto pode causar infertilidade, cegueira noturna, dificuldade de cicatrização das feridas e lesões das extremidades dos membros inferiores e superiores. Carnes, peixes, aves, frutos do mar e produtos integrais são as fontes alimentares mais importantes. Estudos mostraram que o uso regular de suplemento de zinco pode retardar perda de visão e de memória, mas nunca seu uso deve ultrapassar 15mg/dia, pois seu excesso também é prejudicial. Não tome suplementos com altas concentrações de zinco, pois pode determinar alterações prejudiciais no colesterol, causar gastrite ou úlcera e alterações intestinais.

Comentários