PROBIÓTICOS (parte 2 )
Sexta, 11 de Novembro de 2016

A miocrobiota humana é importante, sendo maior em nível de aparelho digestivo. Desde a boca até o ânus, esses micro-organismos exercem grande função simbiótica em nosso corpo. Esses germes são considerados vitais na saúde humana principalmente pela capacidade da defesa gerada. No intestino, grandes funções são exercidas:

1. Melhorar a biodisponibilidade de nutrientes e degradar componentes dietéticos não digeríveis.
2. Fornecer novos nutrientes.
3. Remover substâncias nocivas e componentes antinutricionais.
4. Produzir ácidos graxos de cadeia curta. Estes ácidos têm grande importância no intestino, pois impedem a absorção de substâncias alcalinas tóxicas, reduzem a perda intestinal de cálcio e magnésio, fortificam a mucosa intestinal e diminuem o risco de câncer intestinal.
5. Contribuir para a produção e utilização das vitaminas K, B12, B1, ácido fólico e outras.
6. Aumentar a absorção do cálcio e do magnésio.
7. Exercer um efeito protetor contra o câncer intestinal.
8. Reduzir a glicemia ajudando a controlar o diabete.
9. Ajudar a absorção da lactose em pessoas intolerantes à mesma, bem como apresentar efeito protetor quanto a doenças do fígado e reduzir as infecções intestinais. Pessoas que usam antibióticos por longo períodos destroem sua microbiota e ficam mais sujeitas a gastroenterites infecciosas.

A microbiota humana começa a ser formada no momento do parto. Ao passar pelo canal vaginal, a criança é infectada com germes vaginais e fecais da mãe. Crianças nascidas de parto cesáreo, que não sofrem essa contaminação, são mais sujeitas a doenças e à asma do que as nascidas de parto natural.

Ao receber o colostro, primeiro leite após o parto, grande quantidade de germes são introduzidos no organismo do recém-nascido aumentando em muito sua flora bacteriana. O aleitamento materno é outra fonte rica em bactérias, pois tanto a pele da mãe como os seus condutos mamários são ricos em bactérias saudáveis. A criança que recebe aleitamento de bancos de leite, nos quais o mesmo é pasteurizado, leva muito mais tempo para compor sua microbiota e, é portanto, mais sensível às infecções.

Aos 4 anos, a criança já dispõe de uma flora bacteriana completa, sendo que a partir de então sua imunidade melhora muito, reduzindo o risco das infecções de infância. Diz-se que o indivíduo com microbiota normal está em eubiose e, quando este equilíbrio for rompido, o mesmo apresenta disbiose, estado de debilidade orgânica em que costumam surgir infecções, principalmente as gastrointestinais.

As pessoas que estão mais sujeitas às disbioses são crianças na primeira infância, idosos, portadores de diarreia crônica e pessoas que fazem uso de imunossupressores para tratamento de doenças crônicas ou em quimioterapia de câncer.

Comentários