Diarreias crônicas (parte 5)
Sexta, 26 de Maio de 2017

Após o diagnóstico das causas da diarreia crônica, o tratamento baseia-se no tripé dieta, hábitos saudáveis e medicamentos. Já falamos sobre a dieta, agora vamos tratar sobre os hábitos de vida e medicação.

Hábitos saudáveis de vida: Exercícios físicos, horas de lazer, boa convivência familiar e profissional ajudam a reduzir o estresse e seu efeito maléfico sobre o organismo.

Medicamentos: Até há três décadas, poucos eram os bons medicamentos disponíveis para o tratamento das diarreias crônicas. Com o entendimento das doenças, tem surgidos muitas e boas opções de fármacos que agem de maneira efetiva sobre o intestino ou sobre as causas predisponentes. Antiespasmódicos, analgésicos, relaxantes musculares e medicamentos que agem sobre o cérebro reduzindo o efeito do estresse sobre o intestino são opções disponíveis no mercado. O uso dos probióticos, prebióticos simbióticos são boas opções para recompor a flora bacteriana intestinal. Antibióticos não absorvíveis têm se mostrado muito eficientes nestas doenças, mas ainda não estão disponíveis no mercado brasileiro.

Relacionamento médico paciente

Este item é muito importante, pois o entendimento que o médico que lhe está tratando é confiável e capaz, a recuperação torna-se mais rápida e segura.

Lembre-se:

1. Em diarreias que duram mais de três semanas é importante procurar o médico.
2. Leve a ele informações precisas sobre seus hábitos alimentares, sobre sua situação emocional e profissional, sobre os medicamentos em uso.
3. Quando lhe forem indicados muitos exames, desconfie e vá ouvir outra opinião, pois a solicitação de exames em demasia indica que o médico não está seguro de sua doença e a possibilidade de falha no tratamento é grande e de risco, pois o medicamento mal indicado causa prejuízo ao organismo. Por outro lado, excesso de exames podem apontar falsas doenças que tratadas, levam a um grande prejuízo para o organismo.

Comentários