Prevenção em saúde (Parte 2)
Sexta, 04 de Agosto de 2017

Prevenção secundária

A prevenção secundária objetiva a descoberta da doença ainda em fase curável. Qualquer doença descoberta em seu início é mais fácil de curar e resulta em menor sofrimento para o paciente. A responsabilidade maior cabe ao próprio paciente que, ao sentir de maneira repetida sintomas ou sinais de doença, deve procurar o médico para definir seu problema.

São exemplos de prevenção secundária a descoberta da hepatite em fase inicial, bem como do câncer de mama, diabete, doenças contagiosas e outras tantas, que surgem de maneira inesperada.

Na prevenção secundária é importante o papel dos familiares, dos companheiros de trabalho, professores e patrões. Ao notar que as pessoas ao seu redor estão com comportamento diferente do normal, devem ter a responsabilidade de avisar ao interessado, se for maior de idade, ou aos responsáveis em caso de crianças. A omissão nesses casos pode resultar em prejuízos irrecuperáveis.

Outra forma de prevenção secundária ocorre em pessoas de pele muito branca que são, por motivo de seu trabalho, muito expostas ao sol. Nesses casos, é preciso pedir aos familiares que lhes examinem de maneira regular a fim de descobrir eventuais cânceres de pele que se manifestam por manchas que apareçam ou outras que cresçam ou alterem sua cor.

Em pessoas que fumam há mais de 30 anos, recomenda-se que realizem um Raio-x de tórax anual, ou antes, se notarem dificuldade de respirar, muita tosse ou escarro sanguinolento.

Prevenção terciária:

A prevenção terciária descreve atividades clínicas que impedem a deterioração ou reduzem as complicações depois que uma doença se declarou. Um exemplo é o uso de drogas beta bloqueadoras, a aspirina e as estatinas para diminuir o risco de morte em pacientes que se recuperaram do infarto do miocárdio. A prevenção terciária é realmente apenas outro termo para o tratamento, mas o tratamento focado em efeitos da saúde que ocorrem não tanto em horas e dias, mas em meses ou anos.

Os pacientes diabéticos precisam de exames oftalmológicos regulares para detectar retinopatia diabética precoce, cuidados de rotina para os pés e monitoramento de proteínas urinárias para prevenir a insuficiência renal. Todas essas atividades preventivas são terciárias no sentido de prevenir e reduzir as complicações de uma doença que já está presente.

Também por prevenção terciária entende-se a recuperação para outra função do paciente que, por motivo de traumas ou doenças, ficou impossibilitado de exercer suas funções. Pacientes jovens acidentados devem ser recuperados para outra atividade, uma vez que a inatividade no jovem é a maior geradora de doenças e vícios. Como exemplo, temos um pedreiro que sofreu perda de uma mão; poderá ser readaptado a uma função de porteiro ou outra similar. Ao trabalhar, sentir-se-á útil para a sociedade e terá sua autoestima recuperada.

Comentários