ENVELHECENDO COM SAÚDE(XVII)
Sexta, 21 de Fevereiro de 2014

DOENÇA DE CROHN

O intestino grosso pode ser sede de muitas doenças que lhe causam inflamações. Vírus, bactérias, parasitas e substâncias químicas podem inflamar o intestino. Devido a importância das doenças de Crohn e da Retocolite Ulcerativa reserva-se a elas o termo doenças inflamatórias intestinais.

A Doença de Crohn (DC), descrita por Burril Bernard Crohn em 1932, é crônica, sem cura, e que pode acometer todo o sistema digestivo, bem como outros órgãos distantes do mesmo.

Normalmente o sistema de imunidade do corpo destrói germes e células más que podem gerar câncer. Algumas vezes este sistema não reconhece as células normais do corpo e ataca as mesmas destruindo-as ou gerando doenças. São chamadas doenças autoimunes. Na DC o sistema imunológico do organismo ataca as células da parede do intestino e de outras partes do corpo determinando lesões, espessamentos, úlceras e tantas outras que prejudicam o organismo e geram sintomas.

A DC se caracteriza principalmente por diarreia, sangue nas fezes, fraqueza, dor abdominal e nas articulações, febre, emagrecimento e, nos adolescentes falta de desenvolvimento adequado. Podem ocorrer alterações de pele e inflamação dos olhos.

Trata-se de doença crônica em que os medicamentos ajudam a minimizar os sintomas e cirurgias são indicadas para tratar as complicações. Com boa orientação, no entanto, o paciente pode ter uma vida praticamente normal com grandes períodos assintomáticos.

Como se trata de doença complexa o diagnóstico exige um cuidadoso exame clínico e exames complementares específicos indicados conforme o órgão atingido. Exames de sangue, raio x, colonoscopia, ultrassom e, por vezes, tomografia podem ser indicados.

O tratamento consta de corticoides, imunossupressores e medicamentos biológicos chamados anticorpos monoclonais com resultado, por vezes, maravilhosos. Na DC o intestino inflamado absorve pouco os alimentos sendo recomendada suplementação vitamínica. Deve-se evitar leite e ácidos.

Dado a complexidade da doença é necessário saber:

A DC é doença crônica incurável, mas controlada permite uma boa vida para o seu portador não tendo muita influência em sua sobrevida. Seus portadores podem praticar exercícios físicos desde que não muito forçados.

Embora costume iniciar entre os 10 e 30 anos, pode aparecer pela primeira vez após os 50 anos.

É mais frequente em familiares portadores da doença, mas a maioria das vezes surge em pessoas sem antecedentes familiares. Está relacionada muito com o estilo de vida ocidental. Sua frequência é maior em países desenvolvidos, menor em áreas rurais e inexiste entre os índios americanos, aborígenes australianos e bosquímanos africanos. Estima-se em nosso meio que comprometa cerca de 3 pessoas para cada 100 mil habitantes. 

Piora com o fumo e com o estresse.

A cirurgia é reservada para as complicações, como estreitamento intestinal que causa fechamento do intestino e fístulas, uma vez que não cura o paciente.

Os medicamentos têm muitos efeitos colaterais e o tratamento deve ser acompanhado de perto por médico especialista.

A evolução para câncer é rara sendo que eu nunca presenciei nenhum caso em minha clínica. 

Carlos Antonio Madalosso

Membro das Academias  de Letras e de Medicina

e-mail: madaloss@gmail.com

Comentários