ENVELHECENDO COM SAÚDE(XX)
Sexta, 14 de Março de 2014

Doenças Ano Retais

Prurido (Coceira) Anal

Todas as pessoas podem ter uma vez ou outra coceira ao redor do ânus e nas nádegas e isto é considerado normal. Quando este prurido se torna muito frequente demonstra uma situação de doença que determina um grande constrangimento nas pessoas por ter necessidade de coçar-se em público.

O prurido anal é frequente em crianças devido à má higiene e a um determinado tipo de vermes chamado oxiúrus. Desaparece na idade adulta e costuma voltar após os 50 anos. A causa então é a secura da pele que acomete pessoas nesta faixa etária, bem como má higiene anal em pessoas idosas, muitas vezes incapacitadas de se cuidarem ou que tenham fraqueza dos músculos anais permitindo a perda de fezes.

Quando ocorre fora desses grupos etários, deve preocupar o paciente pois algumas doenças mais graves podem estar ocorrendo, como psoríase, infecções, fístulas e outras.

Sabões e papel higiênicos ásperos, alguns desodorantes, roupas sintéticas e medicamentos podem também causar prurido. O estresse o intensifica.

Uma vez afastadas causa graves, o tratamento é relativamente simples. Evite coçar, mantenha a área limpa, proteja-a com um algodão ou gaze macia, tome muito líquido e coma muita fibra. Evite condimentos fortes e bebidas concentradas. O uso de pomadas deve ser feito apenas à noite e por tempo limitado. Seu uso constante pode determinar dermatites severas. 

Fissura Anal

Fissura anal é uma doença frequente em crianças, adultos e também em idosos. Trata-se de uma ferida que ocorre devido ao impacto de fezes endurecidas sobre a pele sensível do ânus.

Ao passar pelo canal anal, que é muito sensível, as fezes endurecidas criam uma ferida, que determina intensa dor que pode persistir por alguns minutos após a evacuação. No geral, causam perda de sangue vivo e líquido em pequeno volume. Devido à alteração da sensibilidade pode haver perda de muco e fezes após a evacuação sujando as roupas íntimas.

O tratamento na fase aguda é o uso de medicamentos que amoleçam as fezes, pomadas locais, analgésicos e relaxantes musculares. No geral, o resultado é muito bom, livrando o paciente do sofrimento. 

Para evitar a recidiva é necessária a continuação do uso de fibras alimentares e cuidados higiênicos locais. 

Em uma pequena percentagem dos pacientes a fissura volta a ocorrer causando a fissura cônica, com o surgimento de pequena elevação na parte posterior do ânus e pouco alívio com medicamentos. Uma pequena cirurgia estará indicada. A cirurgia pode ser feita ambulatorial ou com hospitalização; é pouco dolorida e o retorno do paciente se dá em 24 horas para suas atividades normais.

Comentários