Envelhecendo com Saúde
Sexta, 28 de Março de 2014

Doenças Anorretais

Sangramento Anal

Toda pessoa deve regularmente olhar suas fezes antes de dar a descarga no vaso sanitário. Esta observação permite detectar muitas doenças como verminoses, doenças inflamatórias, intestinais e cânceres de intestino, útero, bexiga e próstata; que tratadas a tempo podem ser curadas. 

O corpo pode eliminar o sangue pelo intestino de diversas formas. Pode ser sangue líquido e vermelho que sai por fora das fezes. Pode eliminar sangue coagulado de cor vinho em sangramentos mais graves e, ainda, pode eliminar sob a forma de geleia escura que lembra geleia de uva. O sangramento vivo provém em grande parte das vezes de doenças localizadas no ânus ou no reto distal. Os outros provém de partes mais altas do intestino e mesmo do estômago e do esôfago.

As principais causas de sangramento pelo ânus são:

1. Hemorroidas em pessoas adultas

2. Pólipos do reto (pequenas verrugas), mais comum em crianças e idosos

3. Fissuras anais, pequenas rasgaduras na pele do ânus em pessoas constipadas

4. Doenças inflamatórias e cânceres intestinais

5. Fístulas anorretais, orifício que liga o reto à pele

6. Prolapso retal em idosos. Saída de parte do reto pelos ânus, principalmente em mulheres idosas que passaram por muitos partos.

7. Sangramento por divertículos e angiodisplasias (artérias dilatadas). Doenças próprias de idosos e pouco frequentes em nosso meio.

O diagnóstico deve ser estabelecido pelo médico que o faz através de exames endoscópicos.

Quando perder sangue pelo ânus lembre-se:

Não permita que os vasos sanitários de sua casa sejam escuros, pois estarão tirando a oportunidade de um diagnóstico precoce de doenças graves.

Verifique sempre suas fezes, bem como as das crianças.

Pequenos sangramentos de sangue vivo não devem preocupar. Se persistirem por dias consulte o médico.

Em sangramentos altos procure logo o médico ou a emergência, pois podem, se não tratados, tornarem-se incontroláveis exaurindo o sangue da pessoa e a levando à morte.

Comentários