Doenças do Fígado - parte 1
Sexta, 06 de Junho de 2014

Tumores Benignos do Fígado

Na medicina, tumor significa algo que cresce. Os tumores podem ser inflamatórios ou neoplásicos. Neoplasia significa um crescimento novo não previsto no organismo. As neoplasias podem ser benignas, que não se disseminam no organismo, ou malignas, que invadem o organismo por inteiro, constituindo o indesejável câncer. Eles podem ser únicos ou múltiplos, não mudando sua abordagem. Neste artigo revisaremos os tumores benignos

Com o advento dos exames por imagens, principalmente o ultrassom, começou se identificar a presença de tumores. A maioria benignos. Calcula-se que eles aparecem de 10 a 20% nos exames ultrassonográficos, sendo a grande maioria sem sintomas e com evolução favorável. Na era pré ultrassom as pessoas morriam por outras causas sem saber que eram portadores destes tumores

Os tumores benignos podem ser sólidos, com células em seu interior ou císticos, compostos de líquidos. 

Os sólidos são os hemangiomas (novelo de veias), os adenomas (crescimento de células), hiperplasia nodular focal (fruto de vascularização anômala) e regeneração de fígado após o mesmo ser curado de esteatose hepática e, ainda, outros mais raros.

Esses tumores são diagnosticados por acaso na ocasião da realização de exames para outras finalidades pois dão poucos ou nenhum sintoma. Quando diagnosticado por exames, o médico deverá separar os adenomas dos outros, uma vez que o uso de hormônio anticoncepcional é altamente prejudicial ao adenoma, mas tem pouco efeito sobre os demais.

Em casos especiais está recomendada a biópsia que é uma retirada de um fragmento para ser examinado. O processo é feito com anestesia local e guiado por ultrassom.

Em casos de alguns hemangiomas o ultrassom suscita alguma dúvida sendo útil fazer uma tomografia complementar. Nos demais, o ultrassom costuma ser suficientemente esclarecedor. 

Não há necessidade de tratamento para os tumores benignos. O médico deverá acompanhar com novos exames anuais e advertir o paciente para que se surgir dor no local do fígado deverá procurar recurso. Eventualmente, estes tumores podem crescer necessitando de tratamento intervencionista, que é a cirurgia. Podem ainda, em casos especiais, ser realizada uma punção do mesmo seguida de congelamento ou aplicação de ondas elétricas para sua destruição. 

 Afora o adenoma, nenhum dos demais pode evoluir para doenças mais graves. 

Comentários