Doenças do Fígado
Sexta, 20 de Junho de 2014

Tumores Malignos do Fígado (Câncer Primário do Fígado)

O fígado apresenta frequentemente tumores malignos. Podem ser tumores primários que nascem nas células do fígado e tumores metastáticos ou secundários que nada mais são do que semeadura de tumores originados em outros órgãos. Os tumores metastáticos são cerca de 20 vezes mais frequentes do que os primários, mas apresentam-se geralmente com sintomas semelhantes. 

Tumores primários: Os tumores primários surgem, geralmente em células doentes do fígado, principalmente em cirroses hepáticas. Alcoolismo, hepatites B e C são as doenças que mais propiciam o surgimento desta terrível doença. Tanto no alcoolismo como nos casos de hepatite, a doença deve estar presente há mais do que 20 anos, sendo portanto passível de prevenção com o tratamento das hepatites e a abstinência absoluta do álcool.

Os tumores primários de fígado são a 5ª causa de morte em câncer do aparelho digestivo no mundo. Sua prevalência é muito grande nos países da África e Ásia mas são, felizmente, menores em países da Europa e da América. Os causados por hepatite B têm a incidência reduzida com o uso da vacina, sendo que os causados pela hepatite C ainda estão em elevação no mundo inteiro.

Sintomas: Os sintomas principais são semelhantes ao de tumores metastáticos com perda de apetite e de peso, dores no quadrante superior direito do abdômen, fadiga, fraqueza geral, náuseas, vômitos, distensão do abdômen, cor amarela da pele e urina escura.

Diagnóstico: O diagnóstico é feito pela história do paciente, exames de laboratórios e principalmente exames de imagem. A tomografia é considerado o exame padrão ouro para esse diagnóstico. Quando suspeita-se de tumor primário do fígado deve-se proceder uma biópsia guiada por ultrassom ou por laparoscopia que definirá a origem da lesão.

Uma vez diagnosticado o tumor, o médico fará uma avaliação das condições do paciente para propor um tratamento que melhor se ajuste ao mesmo. O tratamento mais eficiente e o único capaz de curar em definitivo é a cirurgia. A cirurgia pode ser feita retirando um pedaço do fígado ou ainda substituindo o fígado por um de doador são (transplante hepático). Estas opções serão decididas pelo médico especialista em cirurgia do fígado, analisando as condições do paciente e a doença que determinou este tumor.

Outras opções de tratamento são: radioterapia, injeção de álcool, ablação por radiofrequência, e quimioterapia. Estas, no geral, não curam o paciente.

Prognóstico: O prognóstico da doença é muito grave levando ao óbito a maioria dos pacientes portadores dela. Tumores pequenos são passíveis de cura. Lembre-se: 

Se for portador de hepatite C ou B procure um especialista e trate até a cura, pois estas doenças, a longo prazo, são responsáveis por 60% dos cânceres primários do fígado.

Se tiver o diagnóstico de hepatite alcoólica procure ajuda e abandone o álcool, pois a hepatite alcoólica é o primeiro passo para a cirrose, e esta, para o câncer do fígado.

Se tiver cirrose visite regularmente o seu médico, pois tumores pequenos são passíveis de cura  mas somente descobertos pela atenção médica uma vez que dão poucos ou nenhum sintoma.

Comentários