Abuso e Dependência do Álcool
Sexta, 04 de Julho de 2014

O uso limitado do álcool não se constitui problema maior de saúde para o ser humano. Seu abuso, no entanto, é uma das principais causas de mortes no mundo inteiro. No Brasil, o problema é agravado pela liberdade que as pessoas têm em conseguir bebidas alcoólicas, pois sua venda é livre inclusive para menores de idade. 

Esta liberalidade não existe em países desenvolvidos, onde somente adultos com identidade conseguem comprá-las ou nos países árabes onde não é permitido seu uso, inclusive em restaurantes abertos, sendo seu uso permitido somente em salas fechadas. Mesmo assim, as estatísticas mostram nos Estados Unidos cerca de 10 mil pessoas morrem em acidentes causados pelo uso do álcool, sendo estes acidentes no trânsito, suicídios e mesmo homicídios. Estes dados projetam dados ainda mais alarmantes em nosso país onde o controle é frágil e a impunidade é a regra aos transgressores.

Como saber se estou no grupo de risco para me tornar um alcoólico? O grupo de risco costuma:

Ter pais, tios, primos ou outros familiares alcoólicos.

Ter idade entre 18 e 25 anos ou mais de 65 anos.

Ter outros problemas mentais como depressão, ansiedade ou distúrbio de personalidade, pois estas condições favorecem a procura do álcool para ocultar estes males.

Ter na família ou no ambiente de trabalho e lazer o costume regular de usar álcool.

A Organização Mundial de Saúde define o alcoolismo como “uma doença crônica, primária devido a fatores genéticos, psicossociais e ambientais”.

Definição dos problemas com álcool

1. Intoxicação alcoólica: É a situação em que uma pessoa desapercebida pode fazer uso excessivo do álcool, determinando comprometimento da consciência e até o coma.

2. Dependência do álcool: álcool adição ou alcoolismo: É o mais grave do problema. São pessoas que perdem o controle do álcool. Para saber se uma pessoa está nesta situação deverá no mínio ter três das condições abaixo relacionadas:

Necessitar doses cada vez maior para satisfazer seu desejo.

Ter sintomas desconfortáveis na retirada da bebida.

Não ter controle sobre a quantidade ingerida.

Gastar boa parte de seu tempo bebendo.

Negligenciar compromissos ocupacionais, sociais ou de lazer.

Continuar bebendo apesar das advertências médicas ou de familiares.

 3. Abuso de álcool: É a situação onde a pessoa inconsequentemente bebe dose alta sem preocupar-se com seu reflexo. A pessoa se inclui nesta condição quando:

Faltar ao trabalho ou a compromissos sociais.

Usar o álcool em situações de risco como quando tem de dirigir ou trabalhar.

Criar problemas legais com o uso da bebida.

Mesmo quando advertido por familiares continuar bebendo.

A pergunta que surge, o que significa um drinque? Considera-se drinque o beber até 350 ml de cerveja, 150 ml de vinho ou 40 ml de destilado. 

Classifica-se como bebedor moderado um homem que bebe regularmente dois drinques por dia e uma mulher e um idoso que bebem um drinque por dia.

Como bebedor pesado classificam-se as mulheres e idosos que tomam 3 drinques por vez ou 7 por semana ou o homem que toma 4 doses por dia ou 14 por semana. 

Bebedor compulsivo é o que ultrapassa estas quantias.

Quando a pessoa inicia beber na adolescência sua chance de se tornar alcoólico é de 7%, esse número diminui para 6% entre 30 e 44 anos, 3,5% entre 45 e 64 anos e 1,5% acima dos 65 anos.

Nesta revisão procuramos definir o que é o uso regular e excessivo do álcool bem como informações que permitirão a pessoa cuidar-se mais, principalmente se estiver no grupo de risco, para não se transformar em alcoólico. Nas próximas semanas falaremos sobre os efeitos do álcool no organismo bem como o caminho da recuperação para os dependentes.

 

 

 

 

Comentários