Febre Hemorrágica Ebola
Sexta, 08 de Agosto de 2014

(Tendo em vista a relevância do assunto Ebola, nossa série sobre os problemas causados pelo álcool seguirá na semana seguinte)

O vírus Ebola foi diagnosticado pela primeira vez em animais junto ao rio Ebola do Congo na década de 50. Em 1976 pela primeira vez foi diagnosticado em humanos no Sudão e no Congo. Desde então tem havido endemias transitórias, sendo que a mais grave está ocorrendo neste ano, tendo matado mais de mil pessoas em Serra Leoa, Guiné e outros países da África Ocidental. 

A transmissão do vírus se faz diretamente do hospedeiro animal, macacos, morcegos, porco-espinho, antílopes e outros para o homem. Uma vez infectado, o homem pode transmitir para outros humanos através do sêmen, de líquidos corporais como a saliva, o suor e mesmo pelo sangue. Muitos contraíram o vírus ao lavar seus mortos, costume daquela região.

No homem o vírus inicia como se fosse uma gripe forte, com febre, dores generalizadas, fraqueza, hipotensão e perda do apetite. A seguir compromete o fígado e os rins causando com os dias hemorragias volumosas pela pele, pelo nariz boca e intestino. Pode determinar feridas em todo o corpo. A doença é muito grave e chega a matar até 90% dos contaminados.

Muito grave é o fato que a pessoa contaminada que não sofre ou não morre com a doença torna-se portador por meses, facilitando a transmissão do vírus a outras pessoas, pelo beijo, pelas secreções, pelo contato sexual e mesmo por instrumentos compartilhados como talheres, barbeadores e outros.

Tem sido relatado casos de viajantes contaminados dos Estados Unidos, Inglaterra e França provenientes da região infectada.

No Brasil houve relato de um caso em junho em Brasiléia no Acre, onde o governador recebeu, sem critérios, haitianos e africanos. O Ministério da Saúde desmentiu o fato, mas por estranha coincidência, passou a exigir um exame sanitário dos viajantes que procedem dos países da África Ocidental. Fica uma pergunta, e os africanos que entraram antes da Copa e os muitos que ficaram em nosso país? Não poderiam estar contaminados? 

Muitos desses imigrantes, principalmente vindos de Gana, estão em albergues compartilhados com outros africanos e mesmo com brasileiros. Qual o cuidado que Vigilância Sanitária de nossos municípios estão tomando?

Em Passo Fundo, a Academia Passo Fundense de Medicina sugeriu à Secretaria de Saúde o exame obrigatório de todo imigrante que chegar na cidade, uma vez que temos recebidos dezenas e dezenas de africanos, haitianos e indianos em nosso município.

Não custa lembrar que a infecção pelo ebola mata quase 90% das pessoas infectadas. É muito importante prevenir.

Comentários